17 de mai de 2010

Compulsive Skin Picking



Como já disse antes, eu venho apresentando sintomas novos da depressão, os quais ainda não tinha vivenciado. Tenho uma consulta marcada com uma psiquiatra amanhã, será a primeira avaliação com essa médica e espero que desta vez não haja interrupção no tratamento. Pretendo tirar minhas dúvidas sobre esses sintomas, pois a mania de ferir repetidamente as unhas dos pés até o sangramento (Veja MEUS PÉS) pode ser um indicador de TOC (para saber mais sobre isso clique AQUI). A médica vai me orientar. Porém, eu pesquisei na internet e achei artigos sobre um problema muito parecido - o Skin Picking. Vou citar um deles para esclarecer o assunto.
“O Compulsive Skin Picking ou Conduta Auto-Lesiva ou Escoriação Neurótica é caracterizado por uma repetição crônica de:
- Tocar
- Coçar
- Cutucar
- Arranhar
- Furar
- Escoriar
determinadas regiões da pele, de modo tão intensivo ou repetitivo que acaba provocando o aparecimento de feridas cicatrizes, descolorações na pele.
O Picking pode ser uma doença isolada, mas ele pode ser um sintoma de outras doenças, como por exemplo:
- Doenças de pele
- Doenças auto-imunes
-Transtorno Dismórfico Corporal ou Dismorfia Corporal ou Transtorno Somatoforme Corporal
- Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC ou DOC)
- Sintomas de abstinência de drogas opióides Autismo
- Psicose (por exemplo, Esquizofrenia)
-Comportamentos auto-mutilantes ou auto-agressivos que existem, por exemplo, no Transtorno de Personalidade Borderline
- Tricotilomania (mania de arrancar cabelos)
Quando o Picking faz parte de uma dessas doenças, o tratamento delas está em primeiro plano.
Desenvolvimento do Picking:
Geralmente começa com uma ferida na pele, que a pessoa coça, aí coça de novo, acaba não deixando cicatrizar.
Com o tempo começa a ter uma sensação localizada de coceira ou de necessidade de se cutucar. Aos poucos começa a sentir que em determinadas situações mais ansiosas ou estressadas da vida essas coceiras ou escoriações passam a ser uma válvula de escape para as tensões. O Picking costuma se manifestar quando a pessoa está ansiosa, quando está se sentindo com monotonia e para muitas pessoas traz uma sensação de prazer. Justamente isso faz com que ele nunca passe e acabe produzindo lesões visíveis de pele.
É comum pessoas portadoras de Picking ou Conduta Auto-Lesiva ou Escoriação Neurótica usarem roupas fechadas e mangas compridas mesmo no calor.
Tratamento
Quando o Picking é um sintoma de outra doença, esta doença deve ser tratada de modo apropriado e ele deve passar. Quando o Picking é um sintoma isolado, um conjunto de tratamentos pode ajudar:
Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), que é uma forma de Psicoterapia bem diferente da psicanálise. Na página Tricotilomania existe uma descrição da TCC.
Medicação: não se sabe muito bem como ela ajuda, mas o fato é que ajuda. Em geral se usa neurolépticos e/ou antidepressivos.
O uso de luvas finas (tipo luvas de golfe) ou de esparadrapo (Micropor) nas pontas dos dedos também pode ajudar. Quando a pessoa consegue se cutucar, ela está perpetuando o Picking, quando ela não consegue (porque as pontas dos dedos estão cobertas), ela começa a se descondicionar desse comportamento. É o mesmo que ocorre no tratamento do Distúrbio Obsessivo Compulsivo.”
Fonte: Mental Help
Vi na tv outro dia a história de uma moça que tinha tricotilomania, e, além de mastigar os cabelos, ela os engolia sem perceber. Um bolo de fios se formou em seu estômago ao ponto de não sobrar espaço para a ingestão de alimentos. Com uma cirurgia, a enorme bola de cabelo foi retirada de seu estômago e está exposta em um museu de medicina.
Conheci pessoas que sofriam de tricotilomania, que tinham espaços totalmente lisos no couro cabeludo, sem nenhum fio mesmo, depois de passarem meses arrancando-os um a um. Também tenho uma tia que coçava feridas nos braços, arrancando as cascas e provocando sangramento. A cicatrização nunca ocorria até o fim. Ela foi ao médico, usou uma pomada e melhorou, mas transportou a compulsão para outros pontos de sua vida.

166 comentários:

  1. Achei teu blog por pesquisas no google... pois tb estou sofrendo desse maldito transtorno... arranco a pela da minha boca até sangrar... não vejo que arranco, mas quando vejo, já tem sangue... me sinto mal por isso, porém se não faço fico inquieta, me dá até taquicardia... ah, arranco as cutículas tb, até sangrar e fazer feridas... estou realmente pensando em procurar ajuda psiquiátrica, mas ao mesmo tempo, acho que não preciso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, te entendo perfeitamente, pois eu sou uma pessoa normal, porém muitu ansiosa e tenho uma mania louca de tirar cutícula!!! A dor é uma dor gostosinha, n sabia o qe acontecia comigo, mas dps qe li seu texto vi que não sou só eu...

      Excluir
  2. Olá ,
    SPFRO DO PICKING AH 3 ANOS
    FICO PORCURANDO NO QUE MECHER ,
    NOS DEDOS DA MAO , FICO CUTUCANDO
    ATE ARRANCAR AS CULOTICULAS ATE FERIR,
    ME SINTO MAL POR ISSO
    EU PARO POR VEZES
    MAIS QUANDO ESTOU MUITO ANSIOSA EU COMEÇO,
    É ESTRANHO SE ALTO MUTILAR
    E VER QUE ISSO REALMENTE NAO É NORMAL
    SOMENTE HJ DECIDID BUSCAR AJUDA NA INTERNET E ENCONTREI SEU BLOG,
    O QUE EU TENHO A TE DIZER É QUE ANSIEDADE SO ATRAPALHA E EU TENTO ME CONTER,
    HJ POSSO DIZER QUE ESTOU BEM MELHOR DESSAS MINHAS CRISES!
    NAO SEI QUANDO VAI ENTRAR P/ VER ESSE COMENTARIO MAIS ESPERO TER TE AJUDADO ...

    BJAO !

    ResponderExcluir
  3. vera lucia29/11/10 17:40

    Oi,
    Sofro do Picking a anos, e não sabia o que era.Descobri hoje no seu blog, e vai me ajudar muito.Tenho essa mania de coçar a cabeça até ferir, depois fico arrancando as casca das feridas já sei aonde ficam todas elas na minha cabeça! Faço isso em qualquer lugar é incontrolavél, percebi que piora quando estou fazendo regime, depois da segunda gravidez passei a ter probemas de obsidade.E sempre estou no efeito sanfona, agoro estou fando regime e já estou com varias feridas.

    ResponderExcluir
  4. Oi Vera. Que bom que agora você já pode começar a se tratar. Se tiver qualquer dúvida ou quiser conversar, conte comigo. Beijo.

    ResponderExcluir
  5. faz 19 anos que sofro de skin picking e achava que eu era a unica pessoa no mundo a ter esse transtorno

    ResponderExcluir
  6. incrivel, estou pasma de saber que sofro deste mal, nossa já não sei mais o que fazer, mas se relatar minha história, seria igual a da vera, sei que preciso de ajuda, minha cabeça, minhas pernas e braços estão doloridos, além de td tenho na familia muitos casos de cancer de pele, devido a uma degeneração na coluna tenho dores neuropáticas e com a medicação aumentou-se muito meu peso, com isso minha anciedade aumenta a cada minuto, como será que acharei uma luz nesta escuridão???? parabéns pelo blog estou pesquisando e não imaginava encontrar tudo tão esclarecido.... bjos

    ResponderExcluir
  7. Tenho 17 anos, faço 18 no próximo mes. Desde que me entendo por gente eu faço isso, não consigo me lembrar exatamente quando comecei, mas desde de criança lembro da minha mãe brigando comigo. Ás vezes uma feridinha, uma mordida de mosquito vira um machucado muito sério, e que grande parte do tempo fica exposto. Tenho muitas marcas, morro de vergonha. Quando era mais nova escodia o corpo, hoje não escondo tanto, mas quando me perguntam eu desvio o assunto, invento mentiras. Só converso sobre isso com uma pessoa que é a minha namorada. Já prometi milhares de vezes pra ela que iria parar, mas não consigo. Hoje, nós brigamos pois havia feito de novo, ela se sente que eu não confio nela, e inutil por não conseguir me ajudar. Além de se sentir traida por ter prometido e não cumprido. Não sei o que fazer, não quero continuar magoando ela, nem continuar me destruindo. Nunca quis, só que com o tempo se tornou parte de mim. Tenho depressão, faço psicanlise. Nunca quis tomar remédios, mas... a respeito da depressão. Agora que entendo a minha doença sinto que talvez tenha que tomar remédios para skin picking. Não sei se vai resolver, tenho medo de remédios, de se tornarem um outro vicio, não sei se vão me ajudar de verdade. Mas não quero mais continuar fazendo isso, já fui longe demais, já tenho marcas suficientes, já me auto-destrui demais. E levando comigo uma das pessoas que eu mais amo no mundo, e a mulher que eu mais amei. Obrigada pelo post, dá um alivio, acreditava que o que eu fazia era exclusivo meu. Sabia que algums pessoas se auto-mutilavam, mas era diferente, de se cutucar, ou insistir em não deixar a ferida cicatrizar. Acredito que auto-mutilação funcione como uma dor substitui a outra e a compulsive skin picking funcione como uma valvula de escape. Ontem acordei muito aflita, meu coração batia muito rapido, e eu sentia uma aflição no peito, como se tivesse um furo, uma passagem de ar, e em volta estive pulsando muito rapido, em carne viva. Era essa a sensação, eu acordei assim. Ficava desesperada, sem saber o que fazer...respirando rapido, quando levantava andava sem saber pra onde ir, quando deitava ficava me mechendo na cama, em alguns segundos eu comecei a arrancar casquinha de várias feridas do meu corpo. Depois disso a única coisa que eu tinha que fazer era procurar uma forma de estancar o sangue, depois disso, o resto tinha diminuido com uma força imensa, e ai eu conseguia me concentrar em outra coisa até tudo passar... Senão eu não conseguia... Não sei o que fazer, infelizmente é muito rapido, é um habito, algo que ta ali. É horrivel. Se alguem está no começo da doença tem que parar o mais rapido possivel, é um vicio como beber, fumar e se drogar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite.Sei que faz algum tempo seu comentário Anônimo,
      e só te digo uma coisa, sei exatamente o que passa, pois tenho
      esta doença a 28 anos, tratei em tudo que é lugar,estado,cidades,médicos,
      e de todas a forma que possa imaginar,com as pessoas mais conceituadas,
      e se te falar que hoje exatamente hoje, que ouvi pela primeira vez.E é exatamente
      como seu depoimento meus sintomas,mas...ainda estou pesquisando mais afundo
      para não me precipitar, até agora essa foi a próxima que achei em toda minha vida, e estou tão assustada, como pode ninguém (médico ) ter me falado isso, é confuso, mas não desisto.Abç

      Excluir
    2. Também tenho exatamente esse problema. Tiro a casquinha (e as vezes nem virou casqinha ainda) dos meus machucados. Normalmente é do corpo todo, mas nas costas, ombros e braço que a minha mão esquerda alcança o negócio é mais feio. Minhas costas do lado direito está horrível. Não sei se existe algum tratamento para limpar essas machas. Sinto prazer em cutucar o machucado, as vezes não consigo me segurar. Quando consigo me segurar, uma hora sem eu perceber eu mesmo tiro a casquinha. Tenho machucados que demoraram mais de mês para cicatrizar e a mancha que ficou está horrível. Quando tomo bastante sol nas costas fica um pouco melhor a aparência. As vezes o que me ajuda um pouco é deixar sempre as unhas cortadas, mas o ruim que odeio cortar as unhas.
      Também não sei o que fazer, será que existe algum tratamento a lazer, ácido, sei lá o que para tirar essas machas?

      Excluir
    3. Vitor eu tb sou uns vitima desse mal desde criança arranco as feridas que aparece no meu corpo pois sou alergica a picada de inseto...bom sobre as marcas saem sim com um bom dermatologista, eu ja limpei meu corpo todo com acidos que a médica passou e passei um bom tenpo sem marcas porém depois da minha segunda gravidez a ansiedade me fez destruir minha pele outra vez...me sinto frustrada,triste e envergonhada...e agora complica pois estou amamentando e o problema tb é psicológico...

      Excluir
    4. Acho que mais importante que tratar as manchas da sua pele, seria vc procurar ajuda de um psiquiatra e/ou psicólogo e tratar sua compulsão em se automutilar, e após a melhora desse sintoma, vc trata sua pele.... Espero ter ajudado... Bjo

      Excluir
  8. sofro de sckin picking ha 19 anos e ate conhecer seu blog achava que era a unica pessoa do mundo a ter prazer em arrancar cascas de feridas e nunca deixa-las cicatrizarem

    ResponderExcluir
  9. sofro de sckin picking ha 19 anos e ate conhecer seu blog achava que era a unica pessoa no mundo a sentir prazer em arrancar cascas de feridas e nunca deixa-las cicatrizarem agora sei que isso e um transtorno e que precisa ser curado beijos anonimo

    ResponderExcluir
  10. Enquanto lia este blog estava com a mão cheia de sangue arrancando cascas da cabeça... Tambem não sei quando começou. Só sei que é automático. Qualquer pelo encravado é motivo; arranco de minhas nadegas, do couro cabeludo, espinhas, enfim... basta criar a casca. Nunca imaginei que fosse algum problema, para mim era algo comum...

    ResponderExcluir
  11. Meu corpo é cheio de manchas. Passo a unha pelo corpo procurando o que arrancar; cravo, pelo encravado, casca, qualque coisa. Um dia mexi tanto na orelha que estava assustadora. Quem olhava para a minha orelha ficava com nojo; eu respondia que estava escrevendo um best seller: Um dia minha orelha cai. Passo por constrangimento constantemente, porém nem assim consigo parar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou como você.Faço tudo isso tbm...

      Excluir
    2. Meu deus...infelizmente eu sou assim tb...meu rosto está cheio de feridas e marcas...meu corpo inteiro (pernas, braços, pescoço, costa...tudo, tudo) está horrível!!!Não sei mais que fazer...e o pior é que faço acompanhamento psicológico, porém,não consigo melhorar...sou muito ansiosa...fico constrangida todo o tempo, pois sempre tem alguém para perguntar o que é essas feridas...as vezes sinto a até q as pessoas sentem nojo...meu marido e eu constantemente brigamos por isso, pois ele pensa q eu não paro pq eu não kero, mas quem passa por isso sabe que não é bem assim, nem percebemos quando estamos nos lesionando...eu mesma, estava agora ferindo meu rosto e atrás da orelha...não percebo...sei lá viu...ando deprimida, não tenho vontade de fazer nada...tenho vergonha até de vestir qualquer roupa que mostre alguma ferida!!!E ainda tem um detalhe...mesmo estando com calça, blusa de manga comprida eu ainda arrumou um jeito de me ferir...mesmo doendo ou sangrando e eu até mesmo vendo que está feio...não consigo parar!!!Se alguém souber de um jeito de me curar, ou melhor de nos curar seria muito agradecida!!!Desculpem pelo desabafo!!!

      Excluir
  12. Gente, como quase todos vocês comentaram como anônimos eu não vou conseguir responder a todos separadamente. Então, falando no geral, digo que todos que ainda estão sofrendo com o TOC devem buscar ajuda o quanto antes. Não precisam ter vergonha de dizer a um médico que estão com esse problema, vejam o médico como alguém que entende exatamente o que vocês estão passando, e certamente não irá julgá-los. Mas é muito importante buscar ajuda o quanto antes. TOC tem cura. Não deixem a coisa de agravar ainda mais. Coragem.....

    ResponderExcluir
  13. Olá...
    Bem não sei se tenho TOC ou sckin picking, quando fico muito ansiosa machuco minha orelha, e fico arracando as casquinhas e às vezes tiro até pedacinho da pele, o que vcs acham que eu tenho.Sinto muita vergonha por isso, tento me controlar, mas tem dias que é impossível... já acordo com a mão na orelha.

    Obrigada

    ResponderExcluir
  14. ENCONTREI SEU BLOG ,TENTANDO AJUDA PARA MINHA SOBRINHA DE 21 ANOS QUE TBM SE UNHA PELO CORPO TODO, ELA É DIABETICA, NÃO SAI DO QUARTO, MAL TEM UM OU DOIS AMIGOS(AS) A MÃE VIVE INSISTINDO PARA QUE ELA SAIA PARA SE DIVERTIR. A MÃE CURTE BALADAS E AS VEZES ELA VAI JUNTO , MAS SEMPRE DÁ BRIGA , ACHO QUE ELA VÊ A MÃE SE DIVERTINDO E ISSO A DEIXA ENCIUMADA , EMBURRADA, AGRESSIVA, JÁ CHEGOU A AGREDIR UM COLEGA COM UM TAPA NO ROSTO POR NADA....A GENTE SENTE QUE ELA É TRISTE, NÃO CONSEGUE DEIXAR AFLORAR A ALEGRIA , DÂ A IMPRESSÃO DE QUE TUDO É FORÇADO, TBM NÃO DEIXA NINGUEM A AJUDA.... PSICOLOGO / PSIQUIATRA JÁ NÃO ADIANTA , O QUÊ FAZER ????????

    ResponderExcluir
  15. Maria, sinto muito por sua sobrinha e também por sua família, que certamente deve sofrer muito com isso. Não tenho competência para dizer o que se passa com ela, mas qualquer pessoa pode dizer que ela precisa de ajuda. Terapias alternativas possam ser de grande valia, como terapia ocupacional, musicoterapia, dança, arteterapia e especialmente acupuntura. Mas nada surte mais efeito que carinho e atenção. Acho que a mãe dela deve conversar abertamente com a filha e perguntar o que a aflige, do que tem medo e procurar deixá-la segura e confortável. Se há no comportamento dela algum traço de ansiedade (que a faça automutilar-se com as unhas) a única forma de tratamento eficaz envolve remédios controlados e psicoterapia. Posso dizer a você que eu quase perdi as unhas dos pés e foi dessa forma que eu venci o impulso autolesivo. Hoje eu tenho manifestações diferentes do TOC, como mania de higiene, medo de contaminação, mas nada disso atrapalha minha vida. Que Deus ilumine os caminhos da sua sobrinha e te abençoe pelo cuidado e carinho que você parece ter com ela.

    ResponderExcluir
  16. Tenho isso também! já faço terapia, já tomei remédios mas nada parece funcionar comigo, já estou perdendo as esperanças! parece que sou blindada contra os tratamentos. É horrível, passo HORAS no banheiro me analisando, cavando coisa para eu espremer, cutucar..arrancar até eu ver sangue. Achei que eu era louca por um bom tempo, por que eu tenho feito tudo de uma forma completamente contraria a tudo que vem de mim...eu sou mega vaidosa e o contracenso é que me destruo sem nenhum pudor! dói! quer dizer, dói a alma, a conciencia...jurei um milhão de vezes não fazer mais, mas sempre acontece! Ai pra me livrar da culpa por me detonar eu saio e compro compulsivamente, sem poder, é óbvio. Acaba com a minha auto-estima, é terrível. É como tirar um sarro de mim mesma..sarcasmo, quem me dera!To sem rumo...MESMO!

    ResponderExcluir
  17. Nossa...não sabia que minha mania era doença...eu tenho TOC e tomo remédio para isso há muitos anos (há uns 10, eu diria). Desde 2004 passei a desenvolver o skin picking mas nem sabia de seu nome, de que era uma doença específica...
    Já tentei usar várias pomadas sobre as feridas, já me enchi de esparadrapos, mas as feridas ficam mais 'cascudas' e ai é que vou cutucá-las mesmo!!! Dá um alívio!!! Eu cutuco quando estou nervosa, distraída, ansiosa, lendo algo, vendo TV, conversando com alguém...ou seja: EU CUTUCO TODA HORA!!!! tiro cascas do rosto, da cabeça, das mãos, pernas e pés...estou toda marcada pois tenho a pele muito clara!!! Minha última tentativa será colocar esparadrapos nas pontas dos dedos das mãos. Quem sabe paro!!! Vi isso no filme "Cisne negro" em que a protagonista se coça toda e fica marcada, como forma de aliviar a ansiedade e insegurança. Aliás, me identifiquei demais com a tal Nina...Faço psicoterapia há alguns meses e espero que me ajude a superar esse mal. Espero que vc tb esteja se superando, assim como todos que leram esse blog! Beijos e muita sorte a todos!!!

    ResponderExcluir
  18. Lendo os posts até aqui e arrancando cascões ...

    Cheguei até a desenvolver um método ainda mais neurótico...
    Tento deixar de coçar a cabeça por um período de tempo (horas, nunca dias) para que as cascas fiquem maiores e minha recompensa (extase na hora de tirá-las) seja maior..
    Isso já está me atrapalhando no trabalho ...
    Qdo eu trabalhava com outras pessoas na mesma sala, evitava colocar a mão na cabeça ... Agora q trabalho em uma sala só minha, piorou minha situação ... minhas mãos não saem da cabeça ... e eu ... que dependo delas p digitar não consigo produzir nada. Sem contar o fato de que quando estou "cavucando" perco a noção do tempo e fico com a concentração reduzida ... só curtindo o prazer de arrancar as cascas...
    Sei q o meu caso não é tão grave como o de quem faz as feridas em locais visíveis do corpo ou que se machucam até sangrar. (fiquei mto sensibilizada c as histórias de vcs).
    Desejo Sorte ... mta sorte a todos p acabar c esse vício ... e mta força de vontade tbm. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabei achando esse blog justamente pra saber se havia pessoas que também faziam isso, que até então eu julgava uma particularidade minha. Fiquei impressionada quando vc falou que espera horas até cicatrizar só pra ter o prazer de tirar uma casquinha maior. Comigo é assim tbm. Me dá um prazer imenso. Quando tiro uma casquinha vou correndo olhar no espelho pra ver o resultado. Meu couro cabeludo ta todo cheio de lesões e eu sei identificar cada uma delas. Isso acontece comigo há 13 anos (eu tenho 26, ou seja, metade da minha vida). Coincidentemente (acho que não) foi o ano em que comecei a ter depressão. Tomo antidepressivo e ansiolítico, mas nunca pensei em comentar com meu psiquiatra. Achei que fosse uma mania minha só. Foi bom ver que não sou a única. Assim eu sei que isso de fato existe e preciso de ajuda.
      Seu comentário é de 2011. Espero que tenha melhorado!! :)
      Abraços

      Excluir
  19. Poxa pessoal tbm tenho esse vicio de coçar a cabeça, estou com 40 anos e comecei mt cedo aos 8 anos de idade, lembro me que eu tive piolho e quem tinha nao podia entrar na escola, minha mae na realidade so trabalhava pq meus pais sao separados e nao tinha tempo para cuidar de mim, entao eu pegava um espelho e tirava os que eu via na frente e os demais da cabeça comei a procura los com os dedos a ponto de encontra los e mata los um a um... para poder entrar na escola... com minhas constantes procuras passei a machucar o couro cabeludo e depois a rrancar as casquinhas das feridas e hj com 40 anos sou aficcionada em cutucar minha cabeça...em qqr lugar eu levo a mao a cabeça e cutuco msm por bastante tempo, é cono se tds as pessoas ao redor desaparecessem ou eu me tornasse transparente...perco a noçao, e se alguem tocar neste assunto ou algo parecido eu me afasto da pessoa como se ela me tivesse feito algo mt grave, nao me preocupo com oq as pessoas pensam sobre isso, mas tbm nao admito q toquem no assunto comigo, pq na verdade eu nao tenho uma resposta pra isso...hj ate parei de trabalhar peguei uma licença ja ha mais de um ano so para coçar a cabeça pq ai fico sozinha para coçar a vontade...e a noite qd meu esposo chega eu ainda continuo coçando e vou dormir coçando..janto coçando, td coçando...
    Prefiro ficar com meu couro cabeludo do que fazer qqr outra coisa, por exemplo nem viajo pa ai fico impedida com o tempo reduzido para me coçar a vontade, mas eu nunca apresento o motivo verdadeiro invento estorias so para nao ir viajar e ficar coçando..
    É mt triste pq eu poderia estar fazendo coisas que me elevassem como pessoa, mas nao consigo, ja tentei de td, ja fiz promessa... mas nada..nao consigo msm.
    ja fui ao medico também mas chegando no medico invento outro problema e nao falo do meu vicio...
    obrigada a tds pelos relatos, acho que so de saber q tem mais pessoas com este problema ja me deixou mais normal...e pela primeira vez falei sobre ele, oq me fez te recordar qd td começou aos 8 anos na escola...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só hoje descobri este blog, quando busquei no google "coçar a cabeça até ferir".
      Não imaginava que existiam tantas pessoas assim. Hoje estou com 43 anos e a primeira vez que comecei a ferir minha cabeça eu estava com 25 anos. Sempre fui muito apegada a minha mãe e me casei com uma pessoa que não gostava que eu tivesse muito contato com ela por motivo de medo de eu não assumir o casamento.O que não acontecia. Passamos por um momento difícil de grana e pintou um trabalho para meu marido (hoje ex) em uma cidade que fica a 500 km da onde eu morava. Ele era um bom marido, mas não era aquele companheiro. Onde ia, sempre estava sozinha com minha filha, aniversários, missa, praça,etc...Comecei a me sentir cada dia mais só, longe da minha cidade e da minha mãe. Sem perceber comecei a coçar a cabeça e feri-la e quando mais ficava seca a ferida mais vontade me dava de fazer novamente. Chegava a usar espátula de empurrar cutículas para retirar a casquinha, pois também roía unhas, e as vezes não conseguia retirar as cascas. Minha cabeça virou uma ferida só, sem cabelos onde estavam as feridas. Verdadeiros buracos redondos. Na hora do banho, doía muito. Não me lembro quando consegui me livrar disso, pois todo mundo reparava e me chamava atenção e eu ficava muito triste! Me separei e sofri muito.
      Passaram-se os anos, eu com 40 anos passei por outro período ruim e tive que me mudar novamente e ficar longe de toda minha família, agora não só da minha mãe, mas dos meus 3 filho (que tive com o ex). Tudo começou novamente, desta vez em 2 lugares da cabeça. Também não sei como me livrei de um. E agora tenho um lugar que ainda não consegui abandonar, porém já teve dias piores. Como é no alto da cabeça, descobri um jeito de aliviar. Prendo o cabelo pra trás e coloco tic tac, e se eu mexer, atrapalha meu cabeço, daí consegui diminuir as coçadas.... Na luta venho tentando me livrar disto novamente e com muita força de vontade acredito que vou conseguir!!! Contei tudo isso na esperança de ter ajudado alguém, pois lendo alguns depoimentos percebemos que existem outras pessoas e que não sou tão diferente assim. Este que estou respondendo por exemplo me ajudou, pois me identifiquei muito.

      Excluir
  20. Bom texto, certamente ajudará quem precisa. Continue postando, "tens público cativo", sempre!

    ResponderExcluir
  21. Anônima do dia 06/03/2011, "perder as esperanças", NUNCA. As respostas estão todas dentro de nós mesmos, o que temos que fazer é encontrar o caminho. Eu me curei do picking, acredite, é possível. Minhas unhas foram destruídas (também até ver sangue) e hoje elas são diferentes de antes, mas se recuperaram, estão bonitas de novo. Eu já disse aqui que fui ao médico, tomei remédios, fiz terapia... tive força de vontade e apoio do meu marido (agora é ex-marido). Já que você diz que tentou várias coisas, vou recomendar uma diferente: arte. Pense aí numa vertente artística que tenha a ver com você, teatro, dança, música, pintura... e faça cursos, oficinas, ou invente mesmo sozinha. A arte é um caminho para nos revelarmos verdadeiramente e para expressarmos as coisas que não conseguimos no dia a dia. Pense nisso e depois me diga alguma coisa. Um abraço e força.

    ResponderExcluir
  22. Anônima do dia 07/03/2011, eu também quero ver esse filme, Cisne Negro, ainda não tive oportunidade. Obrigada pela força. Continue no seu caminho, na sua busca. Nada é insuperável e nós somos capazes de coisas que nem sabemos. Volte sempre e obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  23. Anônimo do dia 19/08/2011, eu também tenho essa "mania", e também deixo formar as cascas às vezes. Mas é apenas uma mania, nem chega perto do skin picking de verdade. Aliás, vale lembrar que todos nós temos "manias", mas nem sempre podemos chamá-las de TOC. A coisa se torna doença quando prejudica a saúde ou a vida normal da gente. Se achar necessário, busque ajuda médica. Eu consegui, você também pode.

    ResponderExcluir
  24. Anônima do dia 22/08/2011, obrigada por se abrir com a gente aqui. Perceba que muitas vezes pensamos que somos a única pessoa no mundo com um problema, e depois descobrimos que existem outras tantas na mesma situação. Pelo seu relato eu entendo que primeiramente VOCÊ tem que querer melhorar, pois só querendo é que vai conseguir dizer a verdade a um profissional de saúde. Se você quiser mesmo ter uma vida normal, precisa deixar que te ajudem e para isso é necessário se abrir com alguém em quem você confie. Procure referências de um bom psiquiatra, marque consulta e se entregue, se abra, se permita. Diga SIM para você mesma, diga SIM para a vida. Nós normalmente passamos anos inteiros da nossa vida apegados com coisas tão pequenas e sem sentido, como se elas fossem nossa própria sobrevivência. Um dia acordamos e tudo isso perde o valor, mudamos o foco e entendemos que as respostas que tanto queremos estão dentro de nós. Permita-se cuidar de você mesma. Obrigada pela confiança e entrega, volte sempre que quiser.

    ResponderExcluir
  25. Anônimo do dia 22/08/2011, gratidão pela visita, pelo carinho, por você existir. Seja sempre bem vindo e comente sempre que desejar. Um abraço.

    ResponderExcluir
  26. sempre tive algum tipo de dermatilomania, quando era crianca andava com 5 chupetas e esfregava uma no nariz e chegava a machucar, depois fiquei com mania de me cutucar tirar casquinhas etc...meu rosto hj esta td marcado, sou bonita mas qnd me olho no espelho so vejo as marcas e nda mais, nao suporto passar a mao no meu rosto e notar alguma imperfeicao, dai cutuco na ideia de nivelar a pele, mas acabo piorando a situacao, sei que isso piora em situacoes de estresse..tenho medo de ter TOC, ou algo parecido...acho toda essa ansiedade provem de minha mae ja falecida, que me cobrava demais, e era mto rigida , tento fazer o melhor possivel em td mas parece nunca consigo, me sinto mal por isso, meu pai tmb é compulsivo por compras...coisas sem importancia ele compra aos montes achando q um dia vai precisar..tenho medo d ficar igual..parece q piora conforme fico mais velha..hj estou com 32 anos..é mto bom poder falar sobre isso...obrigada pelo espaco...ufa...tenho medo d td isso ser exagero!!! bjos...me senti mto bem em poder falar sobre isso..fico com vergonha de parecer fraca de alguma forma..tmb nunca tinha ouvido falar de picking...tmb me achava a unica...
    Deus abencoe...

    ResponderExcluir
  27. Eu fico muito triste comigo mesma nao consigo parar de cutucar a cabeça, feri-la e o pior ta inflamando meus ganglios do pescoço aí começo a ter noçao como to me ferindo, me machucando à toa e nao consigo parar, faço tratamento, terapia e nao melhoro!!
    To muito triste

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tambem arranco feridas cascas e como isso me d eixa mal sofro com isso d esde infancia

      Excluir
    2. Vamos parar de nos punir, pessoal?!

      Excluir
    3. Eu tambem sofro com isso não consigo de parar de coçar minha cabeça,isso faz com que as feriadas sangrem.
      Tambem me arranho as vezes e mais forte que eu.

      Excluir
    4. Não, não é mais forte que você. Você pode vencer o toc, você pode dominá-lo. Acredite.

      Excluir
  28. Anônima de 23/08/2011, muitas vezes nós somos levados pelas circunstâncias a nos cobrar muito, a exigir demais de nós mesmos, nada menos que a perfeição. Pura tolice! Ninguém é perfeito nesse mundo e nem pode querer ser. Lendo todos os comentários aqui você percebe que, em maior ou menor grau, todos temos problemas, esquisitisses, alguma nhaca qualquer. Você já procurou algum terapeuta? Recomendo consultar alguém da área da psicologia. No mais, te digo que tenha força, que siga em frente apesar de tudo. Venha falar conosco sempre, esse espaço é seu, é de todos. Deus te abençoe também. Um abraço forte.

    ResponderExcluir
  29. Anônima do dia 13/09/2011, eu também já fiquei muito triste com o meu TOC, já me desesperei, e quanto mais eu ficava assim, mais cutucava as unhas, mais arrumava incansavelmente a casa, os armários... Sabe o que isso adiantou? Nada. Leia os outros posts que eu coloquei aqui sobre TOC e sobre meus dias durante as crises de depressão e ansiedade. Talvez você encontre alguma semelhança com o que você está passando. Busque ajuda de um profissional, converse com um amigo. Não se isole, isso só piora as coisas. Eu te desejo muita paz e tranquilidade e que você consiga superar isso. No que eu puder ajudar, conte comigo. Um abraço.

    ResponderExcluir
  30. Tenho 21 anos e cutuco a cabeça há muito tempo.. não sei bem há quantos anos, mas acredito que pelo menos desde uns 8 anos. Eu não sei explicar por quê, mas é uma sensação muito prazerosa tirar casquinhas, sangrar e aumentar a ferida..imagino que vocês que passam por isso sintam a mesma coisa. Há uns anos eu já fiz até exame com um pedacinho de uma casquinha, pra ver o que podia ser e descobrir daonde as feridas surgiam, mas no exame deu que "não era nada"; e depois eu fui em outro dermatologista e ele me disse só para "lavar mais o cabelo, tipo todos os dias" porque devia ser oleosidade e sujeira que originavam as feridinhas.. Mas também sei que não era isso. Nunca mais fui no médico porque já vi que não adiantava, não era realmente "nada". Até hoje tenho feridas e só o que eu não entendia era como elas surgiam para eu poder cutucá-las, mas lendo os comentários de vocês, estou começando a achar que eu mesma as originei, só não sei como! Será dormindo? Porque eu tenho a impressão de que quando eu "acho" alguma, ela surgiu do nada.
    Hoje foi o primeiro dia em todos esses anos que eu procurei na internet se outras pessoas tinham o mesmo problema que eu, porque depois de um tempinho sem feridas, atualmente estou com uma bem no meio da divisão do couro cabeludo, ou seja, todo mundo repara! É muito constrangedor, e ficam perguntando como eu me machuque e eu não sei o que responder. Além disso, o que me incomoda bastante é que eu tenho regiões na cabeça (duas) em que meu cabelo nasceu diferente do resto.. Meu cabelo é liso e comprido, e nessas duas regiões, ele nasceu crespo e desgovernado. Não dá pra entender! Mas começo a achar que a única explicação deve ser por eu já ter tido feridas onde nascem esses cabelos.. eu tenho uma parte bem grandinha, e uma parte um pouco menor. E eles me incomodam bastante, por serem diferente do resto! Faço chapinha neles constantemente rs.. Caiu minha ficha que deve ser por causa da ferida, porque os dois pedacinhos de cabelo "diferentes" são muitoo próximos na minha atual ferida. Alguém já teve isso??
    Bom, por causa da ferida aparente (embora eu tenha mudado a divisão do cabelo mais pro lado, pra que ninguém veja) e por causa desses cabelos esquisitos que nasceram, eu comecei a notar que está na hora de parar. São minhas primeiras horas que estou tentando me controlar, e amanhã pretendo cortar minhas unhas pra dificultar caso eu tente cutucar sem perceber. Mas estou achando que vai ser muito difícil resistir, mas acho que já chega :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu faço no mesmo lugar da cabeça, desde que me conheço por gente (tenho 21 anos) e também tenho cabelos diferentes (exatamente como descreveste). Acredito que a ferida deslocou um pouco para o lado e a parte que nasceu cabelo nasceu esses crespos e com uma textura horrível.

      Excluir
    2. Não sei se eu já contei aqui, mas minha mãe sempre teve os cabelos enormes, passando da cintura, que ela mantinha sempre presos no alto da cabeça. Todas as noites ela demorava a dormir (e eu dormia com ela) e ficava puxando os fios do cabelo, bem no topo da cabeça, um a um. Eu não sabia que ela estava arrancando. Um dia, quando ela estava com o cabelo solto, molhado, eu vi uma "clareira" de uns 3 cm de largura, onde não havia um só fio de cabelo. Ela escondia colocando uma mecha lateral por cima.

      Excluir
    3. Existe um problema de pele que se chama foliculite, que é a inflamação dos folículos capilares, que gera pequenos caroços parecidos com espinhas, doloridos ou não, mas que coçam bastante. Eu já tive isso e era muito chato. Quanto mais você coça ou espreme, mais o caroço fica vermelho e inchado. Gastei muita grana com tratamentos que não davam certo até que desisti de tratar. O médico da minha família, que tinha uma queda para a psicologia, me fez algumas perguntas uma vez que me fizeram pensar sobre isso e eu percebi que era emocional. Quanto mais ansiosa ou com alto nível de estresse, mais foliculite. Então eu tomei remédio para a ansiedade e o problema foi resolvido. Já "quis" voltar outras vezes, mas eu usei uma pomada e um sabonete à base de ácido acetil salicílico, além de prestar muita atenção aos sinais emocionais. Fica a dica para você. Converse com seu dermatologista sobre foliculite e procure um psicólogo para falar sobre como vem se sentindo.

      Excluir
  31. Sei o que vcs estão passando, pois vivo esse problema de forma cotidiana. Tenho uma faca de serra escondida no banheiro para me coçar e arrancas as casquinhas da púbis e das nádegas com maior velocidade. No inicio é algo incontrolável, depois dá um grande prazer ver o chão de banheiro (onde passo várias horas trancado) recoberto pelas malditas casquinhas e depois fico profundamente chateado em me ver sangrando, com muitas dores, com dificuldade para sentar e sempre arrumando desculpas para não manter relações sexuais com a minha esposa, pois fico constrangido com fato dela ver partes do meu corpo em carne viva.
    Tenho 39 anos e mauíras vezes tenho uma loucura de comer as malditas casquinhas e, as vezes não resisto e acabo por comê-lãs, o que já me custou, junto com outros motivos, uma separação da mulher que mais amei na vida.
    Já tentei de tudo: remédio, promessa, benzimento e nada resolve. Na verdade preciso descobrir o que me atingindo por dentro.
    Obrigado pelo desabafo ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gostei muito desse blog. Tambem tenho essa mania e nao sabia porque. Acho que o primeiro passo para tentar superar e descobrir que se tem algo errado. agora com algum conhecimento acho que já é possivel tentar melhorar. também sou casado e minha esposa fica com muita bronca quando ve o que eu faço.

      Excluir
  32. Anônimo do dia 03/07/12: Seja muito bem vindo e muito obrigada pela sua interação. Juntos, trocando experiências, somos mais fortes e capazes de superar esse e outros transtornos. Volte sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada pela oportunidade de poder compartilhar.

      Excluir
  33. olá,
    hoje, através do seu blog, graças a Deus, descobri que tb sofro de pircking, sabia que não era normal, mas, não sabia o nome, tenho mania de cutucar os dedos (cutículas e peles em volta dos dedos),até sangrar, procurava um meio de abandonar essa mania, e hoje vi que usar microporum enrolada nas pontas dos dedos é uma saída, vou tentar.
    obrigada.

    ResponderExcluir
  34. Olá,tenho 15 anos e sofro de picking a 6 anos,vem acompanhado pela tricotilomania a uns 3 anos eu acho...meus braços e pernas estao mt manchados e o coro da minha cabeça dói,tenho muitos fios arrebentados e mt medo de ficar com falhas na cabeça,ja tentei parar varias vezes,mais ainda nao consegui,minha mãe acha que é falta de força de vontade da minha parte,e eu não tenho como procurar por tratamento sózinha na minha idade,e nem sei como.Eu queria saber se tem alguma pomada q tire as manchas ou algo que me ajude,tenho vergonha de mostrar os braços e de usar roupas q mostrem as pernas,e ninguem disposto a me ajudar,até 1 ano atras eu pensava ser a unica estranha q fazia isso compulcivamente,mais saber q não sou a unica não me consola...Eu não quero mais ser assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passei o mesmo que você, primeiramente, sugiro que procure uma dermatologista para prescrever o creme que clareia manchas pois ele existe.Usando este medicamento,já vai pensar um pouco mais antes de cutucar.Outra coisa que funcionou para mim foi por pequenos quadradinhos de microporos em cada ferida.Com isto, passava a mão em busca de feridas e as mesmas estavam tampadas, consequentemente diminui as cutucações. com o tempo elas vão cicatrizando e o número de quadradinhos vai diminuindo.Funcionou bem para mim

      Excluir
    2. Eu tinha o braço todo manchado por cutucar as espinhas. Tipo, era muito manchado mesmo, as pessoas olhavam com nojo e isso me deixava bastante constrangida. Fui no dermatologista e fiz tratamento, clareou as manchas do braço, sumiram. Fiquei super contente, porém, depois de um tempo eu voltei a cutucar as espinhas, mas dessa vez nas costas e na parte da frente do tronco, em áreas que dão pra cobrir. Recentemente vi que o meu pesadelo das manchas voltou , e dessa vez elas estão no tronco.Eu faço acompanhamento com minha dermatologista por causa de uma mancha que tenho perto das costelas, mas eu nunca tinha tirado minha blusa em uma consulta, então ela nunca tinha visto as manchas. Porém, na última consulta quem me atendeu foi outra dermatologista, e essa pediu para eu tirar a blusa. E ela se assustou ao ver como estava meu tronco e minhas costas. Me passou um encaminhamento para um psicologo, porém minha mãe acha que não preciso de psicologo. Eu tenho muita vergonha das minhas manchas, só uso roupa que cubra o local. Ficar nua perto de alguém não me causa tanta vergonha comparado à vergonha que tenho de mostrar minhas marcas a alguém.

      Excluir
  35. Anônimo do dia 25/07/12: Usei micropore nos dedos, confesso que não adiantou nada. Eu arrancava com os dentes e tudo terminava em sangue. Escondi os alicates e palitos de unha, e isso até atrasou um pouco as coisas, mas também não foi a solução. É preciso curar o que está dentro da gente, para só depois ver a melhora acontecer do lado de fora. Tenha força, pense positivo e conte comigo.

    ResponderExcluir
  36. Anônima do dia 29/07/12: Será que na sua escola há um orientador pedagógico? Um psicólogo ou algo assim? Ou mesmo na sua cidade, no serviço público de saúde, deve haver um atendimento psicológico, muitas cidades têm. Procure se informar, e se houver, vá buscar ajuda, mesmo que sozinha. Não sinta mágoa da sua mãe. Muitas vezes a pessoa fica assustada diante de uma situação que não compreende, que não pode resolver, e a reação é ignorar, é fazer de conta que não é nada grave. Tenha misericórdia dela, muito provavelmente ela não sabe como te ajudar. Não deixe de buscar ajuda você mesma. Antes de qualquer coisa é preciso querer mudar, e você já disse que quer. Siga em frente e venha aqui sempre que quiser conversar. Um abraço.

    ResponderExcluir
  37. Pessoal, vendo uma sugestão de por microporos nas unhas, resolvi fazer o inverso.Cortei quadradinhos pequenos de microporos e pus em cada uma das feridas que eu arrancava casquinha.Sempre inicio o processo passando a mão pelo meu corpo em busca de alguma casquinha,e se a superfície da pele se destaca de alguma forma eu arranco.Com os microporos, passo a mão e não sinto as casquinhas ou feridas e isto diminuiu minha vontade de cutucar.Consequentemente as feridas tampadas foram cicatrizando e, a partir do momento que não as sentia mais, parei de cutucar.No início, fiquei cheia de quadradinhos pelo corpo e quando me perguntavam o que era, para não gerar polêmica, informava que fazia um tratamento para clarear algumas manchas e, como não podiam tomar sol, tinha que tampá-las.Após a cicatrização da maioria, os quadradinhos foram diminuindo e hoje coloco apenas se tenho alguma nova ferida que possa me dar vontade de cutucar (como picadas de insetos) antes de iniciar o processo. Sempre tenho que me monitorar mas confesso que tem adiantado bastante e não mais me sinto escrava desta mania.Fica aqui esta sugestão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito boa ideia. Vale a pena tentar. :o)

      Excluir
  38. outro fato importante que esqueci de mencionar no comentário anterior é o de que colocando os quadradinhos de micorporos em cada ferida, você consegue enxergar o número de feridas que tem no corpo e tomar consciencia de que a próxima casquinha arrancada não é só mais uma.A medida que vão se cicatrizando e diminuindo os quadradinhos você vai vendo que está conseguindo e enxergando seu progresso. É muito motivador

    ResponderExcluir
  39. cortar as unhas não resolve. pra mim só piora...
    eu arranho a cabeça o tempo todo e com as unhas menores aumenta a sensibilidade dos dedos que sentem mais nitidamente a ferida..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já procurou um médico ou psicólogo? Talvez você tenha que tomar algum medicamento para ansiedade e fazer alguma terapia. Comigo foi assim.

      Excluir
  40. Como eh bom saber que nao sou a unica a sofrer desse mal! Tenho 19 anos, e ha uns 6 anos que tenho essa "mania" de arrancar casquinhas da cabeça todos os dias. Nessa epoca (quando tinha meus 13/14 ) eu era muito depressiva, quase nao tinha amigos, me isolava do mundo no meu quarto lendo e ouvindo musica. Meus pais nao aceitavam o fato de eu precisar de ajuda psicologica, achavam que era apenas uma fase da adolescencia. Mas as coisas foras piorando, aos 17 eu mudei totalmente de conduta, e tudo que envolvia risco me fascinava, e quando estava sozinha me feria e chorava o tempo todo, e escondia tudo dos meus pais, nao queria que eles sofressem. No começo desde ano que tudo veio a tona, decepcionei muito meus pais com atitudes inconsequentes que tive por me achar um nada, e nao me sentir merecedora de qualquer coisa, meio que eu nao queria merecer, a dor me aliviava, ter problemas justificava minha angustia, me sentia bem por me sentir mal, e quando eu achava que nao havia motivos para me sentir mal, eu os criava, me colocava em risco, me destruia, estava começando a me sentir psicotica. Meus pais foram percebendo, e a exteriorizaçao disso veio pelas feridas, ha anos eles vinham pedindo pra eu "parar de cutucar a cabeça", mas o prazer de arrancar sempre foi enorme, a casquinha no cabelo depois de arrancada fazia do prazer ainda maior, pois eu a puxo pelo fio do cabelo inteiro (tenho cabelos longos) e entro em extase por segundos. Comecei, ha 5 meses, a fazer terapia, sempre tento falar sobre essa mania, mas algo me impede, como se eu me impedisse de querer melhorar, pois me sentindo mal me sinto bem.
    Apesar de todas essas loucuras, conheci a melhor pessoa do mundo esse ano, e ele tem me dado motivos pra nao querer me sentir mal, e o bem que sinto com ele eh mt mais puro, verdadeiro e intenso, e eh nisso que pretendo me concentrar, na chance que vou me dar, na chance que nunca dei, e que esta na hora de enfrentar, enfrentar a mim mesma, meu sub cosciente, meu cosciente, o que seja, eu quero melhorar e esse foi meu maior avanço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Observe dentro de você como tem se sentido em relação a essa pessoa. Muitas vezes, quando estamos deprimidos, conhecemos pessoas que nos fazem bem e nós melhoramos. Aí atribuímos o mérito a essa pessoa. Quando ela se vai da nossa vida, caímos e vamos tão fundo no abismo que é difícil levantar. Tenha cuidado para não usar essa relação como a tábua de salvação e se sentir novamente perdida depois. Acredite mais em você mesma.

      Excluir
  41. Oi eu tambem tenho isso arranco cascas de feridas de uma espinha eu faco uma enorme ferida tenho as costas e os bracos todos marcados de feridas e cicatrizes vou comecar a fazer terapia cognitiva e espero melhorar tenho muita vergonha de usar certos tipos de roupa e espero que todos que tenham isso melhorem porque é um sofrimento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terapia Cognitiva Comportamental é uma ótima opção.

      Excluir
  42. 29/9/2012 - Comentário Editado: Anônimo - "Eu preciso de ajuda. Tenho esquizofrenia e de uns dias pra cá voltei novamente a me cutucar. Minha cabeça está ferida, nuca e atras da orelha. É incontrolável. Ninguem sabe. minha testa esta toda ferida".

    ResponderExcluir
  43. nossa estou surpreso nunca pensei que eu me coçar até sair sangue e usar fis dentai para se cortar (cortar a gengiva) fossem uma doença tão grave

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um transtorno, não sei se pode ser chamado de doença. E a gravidade depende do grau e do mal que se faz a si mesmo e aos outros. Tem tratamento, é muito comum, mais do que se imagina, muitas pessoas têm e nem sabem.

      Excluir
  44. Eu sofro desse transtorno já faz uns anos,não sei ao certo.Tenho o corpo todo manchado,cheio de cicatrizes e aquelas bolinhas que ficam dentro da pele e não saem. Sempre soube que me cutucar não era normal mas só fui saber do nome desse problema lendo uma superinteressante.Eu comecei a cutucar o rosto porque eu sempre tive muitas espinhas e cravos.Hoje não tenho tanto,mas ainda me cutuco.Recentemente comecei a cutucar a cabeça e tenho várias feridas que não saram nunca.Também tenho mania de arrancar cabelo.Cutuco a cabeça,o rosto(é o lugar onde menos cutuco,consigo controlar um pouco melhor),o pescoço,peito,braços,costas e virilha(às vezes).Toda vez que eu olho pras minhas costas fico muito triste pois eu nunca vou ter uma pele boa, está toda cheia de manchas horríveis.Já falei desse problema pra um dermato mas ele nem olhou minha pele e me receitou um remédio que eu nunca tomei.Eu também sinto uma dificuldade enorme de me controlar.No meu trabalho fico um tempinho no ócio e é onde começo a cutucar os braços.Sei que é feio,mas é muito dificil parar.Nessas horas,quando eu tento nao cutucar,fico muito inquieta,começo a chacoalhar as pernas sem parar.Na biblioteca da faculdade é sempre fatal:Arranco cabelo.Arranco os grossos e feios.Uma vez olhei pro chão e estava forrado de cabelo.Já fiz isso na frente dos meus amigos,estávamos estudando e eu ia passando a mão pela cabeça e arrancando os cabelos.Já me peguei mais de uma vez com as mãos nas costas,cutucando,bem na sala de aula na frente de todo mundo e nem percebo.É automático,irresistível.È uma mania mesmo.Não escondo as marcas pq tbm tenho sudorese e nao posso usar bluas de manga pq eu transpiro demais.É horrível.Estou lendo os comentários,acho ótimo se abrir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leitora, existe um problema de pele chamado foliculite, que forma bolinhas inflamadas nos poros junto aos pelos, normalmente na cabeça, mas eu mesma já tive no colo, rosto, costas, braços e pescoço. Coça muito, fica vermelho e é um "prato cheio" para quem tem TOC, pois dá uma vontade constante de cutucar. Por que você não vai ao dermatologista (outro, não aquele que você já foi) e pergunta sobre isso? Tem tratamento e pode ajudar a amenizar o picking.

      Excluir
  45. Nossa quanta gente, achei que era a única a ter isso... Eu cutuco todos o caroços, espinhas e cravos do meu corpo, e também machuco as unhas dos meu pés com a desculpa de tirar unha encravada, além de comer todas as casquinhas e unhas tiradas. Sei que é nojento mas não consigo parar. Raramente uso saias e sandálias, pois minhas pernas estão sempre marcadas e minhas unhas do pé ficam deformadas. Adorei esse blog, pois descobri que essas manias tem nome e agora vou procurar me tratar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jogue fora todos os apetrechos de manicure (alicate, tesourinha, palitos, espátulas, cortador de unha, tudo). Vá a um podólogo pelo menos uma vez por mês para que não restem motivos para cutucar as unhas. Mas, mais que tudo, promova a mudança dentro de você, desvie a atenção para outras coisas (boas e positivas) e faça um tratamento para ansiedade. Venha falar sobre sua experiência sempre que quiser.

      Excluir
  46. Ola pessoal! Tambem tenho sofrido de picking ha alguns anos, pra ser mais exata 15 anos. Passo por fases onde o picking eh mais presente em certos momentos da minha vida, por exemplo momentos estressantes como provas, problemas diarios etc. Meu picking maior ocorre na minha cabeca, no momento a minha cabeca doi muito com os machucados presentes. Tambem sofro de picking nos meus dedos, principalmente nos meus polegares, arranco a cuticula ateh sangrar.... Eh triste e fica muito feio, as vezes tenho machucados nos meu dedos tao grandes que todos notam. Claro q tenho muita vergonha de dizer as pessoas q sofro deste mal, mas nao tenho outra saida pelo fato de estar muito a vista e acabo dizendo a verdade. Minha familia e marido sabem e tentam me ajudar o maximo que podem.
    O que me ajudou por muito anos com o picking nos dedos e cabeca foi o uso de unhas de gel. Acredite ou nao as unhas acima da unha natural eh grossa o que impede a penetracao da unha na pele ou cuticula. A manutencao nao eh barata, mas me ajudou e ajuda ateh hoje. Quando percebo q estou entrando numa fase violenta de cutucao, tento ir logo fazer as minhas unhas com gel. Eh bom lembrar q a sua unha natural fica bem fraquinha depois.
    Espero que meu post possa ajuda-los de alguma maneira e desejo muita forca e determinaco a todos para q possamos superar este TOC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela contribuição e confiança! Volte sempre.

      Excluir
  47. Ola eu tenho essa mania de me coçar tiro todas minahs cascasde machucado ja tentei cortar minahs unhas e tal amis nao adianta eu fico nervosa e quandoveja ja tirei tudo denovo estou cheia de cicatrizes e nao sie o que fazer e muito dificil parar tudo começou com um simples amchucado que sem querer eu tirei e gostei e agora nao paro mais eu sei que machuca amis quando tiro eu me acalmo mais naosei mais o que fazer pois nao consigo parar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure um médico psiquiatra, não tenha medo. Ou se você se sentir mais à vontade, procure um psicólogo e fale abertamente sobre como você se sente. Faça também algo que você goste para aliviar sua ansiedade (academia, caminhada, yoga, teatro, tocar um instrumento, etc.). Lute, só você pode mudar essa situação.

      Excluir
  48. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  49. gente , eu tambem nao achei que era uma doença específica, ja que eu so cutuco feridas abertas por espinhas que expremo ou picadas de inseto, porq sou alergica. entao nao sabia que tinha outras pessoas que nao aguentam ver as cascas e arrancam. as pessoas a minha volta me chingam porq cutuco, mas nao entendem que nao consigo me conter. so que pesquisando na inernet uma pomada pra sarar uma ferida que tenho no braço a meses e que ta me fazendo passar vergonha, eu encontrei um artigo que fala que comportamentos assim podem estar ligados a pensamentos negativos. tem ate uma tal de EFT, que é uma tecnica de liberaçao emocional que vou tentar. mas o pensamento positivo que nao vai fazer isso mais ajuda. se alguem souber de um cicatrizante poderoso me indiquem, vou colocar bain daid pra tampar ate sarar. ate mais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa eu dar um palpite. A primeira coisa que temos que buscar é ajuda médica, nesse caso de um psiquiatra. Ele vai te indicar as terapias que são mais produtivas para você.EFT é uma terapia "alternativa", que complementa um tratamento convencional. Muitas vezes é necessário fazer uso de medicamentos para estabilizar a ansiedade e isso somente um psiquiatra pode receitar. Mas quanto à cicatrização, posso te indicar uma pomada que usei, me envie um e-mail ou deixe uma mensagem privada no Facebook. Um abraço.

      Excluir
    2. ja tomei varios remedios, e nenhum fez efeito pra minha ansiedade. ja parei de tomar, pois ja se passou mais de 1 ano de tentativas, por fim a medica me mandou conciliar um tratamento com psicologa, mas nao animei; ja fui outras vezes e nao vi resultado. acho que é emocional,mas acabei melhorando; o pior mesmo é a angustia que diminuiu mas ainda sinto. enfim, nao estou tendo força de vontade pra fazer o EFT, mas vou tentar colocar na minha cabeça que funcina. quanto a pomada, preciso saber qual é o email. obrigada por responder.

      Excluir
    3. Sempre, sempre, sempre mesmo que se prescreve um medicamento para ansiedade é imprescindível que recomende terapia em paralelo. Remédios só dão conta dos sintomas, não tratam as causas quando o assunto é ansiedade. Precisa sim, ir a um psicólogo conversar, desabafar, pois ele vai te ajudar a entender os seus processos internos, os mecanismos que você deve aprender a controlar ou a re-significar. Uma coisa nem tão legal que eu devo te dizer é que um ano de tentativas não é muito tempo. Eu tenho 16. Isso mesmo, tenho dezesseis anos nessa briga, e umas vezes deu certo, outras não deu certo, um médico era péssimo, um psicólogo era maravilhoso, retiros, cromoterapia, homeopatia, florais, arteterapia, Yoga, e assim será, acho que para sempre. E sim, ansiedade é emocional, é preciso achar a ponta da linha nesse novelo para então começar a desembolar as coisas aí na sua cabeça. Falta de ânimo para fazer as coisas vai um pouco além de ansiedade, já falou sobre esse desânimo com seu médico? Já tentou outro médico? Tem uma coisa importante que eu ouvi um dia de um psicanalista: "Se a sua vida não tiver altos e baixos, você morre". Ele me mostrou uma imagem da frequência de um coração batendo, e os riscos, como em um eletrocardiograma, sobem e descem o tempo todo. Enfim, a vida é feita disso mesmo, de subidas e descidas, felizmente pra uns e infelizmente pra outros. Não diga que não está tendo forças, diga AINDA não estou tento forças. Sabe por que? As palavras que você fala são registradas pelo seu inconsciente e funcionam como uma ordem a ser seguida. Diga que AINDA não quer, AINDA não pode, AINDA não consegue, pois assim deixa aberta uma possibilidade de que um dia será possível. O e-mail é marciasjardins@gmail.com. Fique bem, cuide-se e volte quando quiser. Curta a página Jardins da Depressão no Facebook, pois lá a comunicação e interação com os leitores é mais rápida e você verá sempre que houver uma nova postagem. Um abraço, Deus te proteja.

      Excluir
  50. Sou depressiva há um bom tempo e tenho mania de cutucar as unhas das mãos. Sempre que estou ansiosa esse desejo se torna incontrolável e cutuco tanto que meu marido chega a me chamar a atenção. Faço tratamento da depressão e tenho lutado para parar com essa mania. Por favor me deem uma dica...ja tentei usar luvas e não consigo deixar de cutucar minhas unhas. Não é roer, mas é cutucar com a própria mão...aguardo alguma dica...obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui no blog há vários comentários com as experiências de várias pessoas, inclusive a minha. Eu sou a favor de consultar um psiquiatra antes de tentar qualquer outra coisa. Luvas, esparadrapo, esmalte amargo, tudo isso são apenas paliativos e não podem vencer um transtorno de ansiedade, que é uma coisa interna, com raiz profunda. Leia os comentários e procure ficar tranquila. Qualquer coisa, volte, fale, desabafe com a gente. Procure Jardins da Depressão também no Facebook. Um abraço e boa sorte.

      Excluir
    2. Pois é Marcia Jardins, curti seu comentário. Acontece que já faço tratamento com psiquiatra ha bastante tempo e mesmo assim manifesto dia a dia algumas "manias" que me incomodam. Minha intenção aqui era simplesmente quem sabe trocar experiencias com alguem que tivesse o mesmo problema ou parecido, como é seu caso. Meu marido tem tentado me ajudar,, mas é muito complicado realmente controlar a ansiedade. Bom, vou continuar tentando quem sabe encontre uma saída. De qualquer maneira, obrigada pela atenção.

      Excluir
    3. Veja bem, eu já tive tantos psiquiatras e psicólogos que perdi a conta e nem todos eram bons profissionais. Muitos têm a visão de que tudo se cura com remédio, outros tem a visão voltada para o valor que estão recebendo pela consulta e "correm" com as coisas. Difícil é encontrar um psiquiatra que vai te ouvir (e isso é um método de abordagem específico que não lembro o nome agora), mas eles existem. Sinceramente, se você acha que não está havendo evolução em seu tratamento consulte outro profissional, mesmo que já tenha mudado antes. Eu acho que TOC ou comportamento obsessivo não "tem cura", é uma coisa que vai mudando, um dia você rói as unhas, outro dia você arruma demais o guarda-roupas, outro dia sente nojo de tocar nas mãos das pessoas. O que se pode fazer é conviver bem com isso, se conhecer, se observar, e claro, usar medicação se for preciso, que irá ajudar nesse longo trabalho individual. Não acho legal o seu marido te recriminar, mas vejo a intenção dele em te preservar, em fazer com que "você fique bem", assim do jeito que ele sabe fazer. Converse com seu médico ou procure outro médico. Converse com seu marido também. Converse com a gente aqui que faz bem, alivia, dá ânimo para seguir em frente. Eu já destruí as unhas dos pés, parei, hoje eu arrumo a casa de uma maneira descontrolada, passo duas horas lavando um banheiro... e assim vamos levando. Um abraço.

      Excluir
    4. tudo isso ta na cabeça da gente, pensa todos os dias sem parar um so dia , durante 1 mes que vc nao precisa de cutucar as unhas, e que pode fazer outra coisa, e ve o que acontece. pensa firme e positivo, e visualize que vc ja parou.

      Excluir
    5. Há aqui alguns posts falando sobre a influência dos pensamentos em quadros depressivos. Veja http://goo.gl/gHpFT e também um artigo sobre dicas para controlar a ansiedade em http://goo.gl/3F5XI. Caso você ache o link estranho, não se preocupe, ele foi encurtado para não ficar enoooorme aqui, não é vírus. ;)

      Excluir
  51. Olá , eu me identifiquei muito com esses sintomas sitados de skin picking ,na realidade as vezes quando estou assistindo TV , quando noto ja estou toda machucada de tanto me cutucar . principalmente o rosto , quando meu esposo nota ele segura a minha mãe , mais quando solta la estou eu de novo , eu sou super anciosa talvez seja isso que me cause isso , e tem épocas que meu rosto fica horrível de tanto que machuco , qualquer bolinha ou as vezes um espinha , eu cutuco até me machucar , é terrível o pior é que não consigo controlar , depois quando me olho no espelho me sinto péssima , qual médico tenho que procurar um psicologo ou psiquiatra ? Se alguém puder me ajudar !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josi, você deve procurar um psicólogo, e se for necessário ele te encaminhará a um psiquiatra, pois os psicólogos não podem prescrever medicação. Mas talvez seja somente uma mania, não exatamente um TOC. Somente um profissional saberá avaliar. Olha que bacana, você tem uma pessoa cuidando de você! Certamente isso ajudará muito. Te desejo força e que você abra seu coração para o tratamento (se for necessário um tratamento). Um grande abraço.

      Excluir
  52. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  53. Oi, sofro disso há mais d 10 anos! Tenho feridas na cabeça q todos os dias fico arrancando casquinhas, acho prazeroso e ao mesmo tempo horrível, é incontrolável. Tenho vergonha qd vou em minha cabeleireira, embora ela sabe dessa minha mania. Sou extremamente ansiosa, e percebo q começo qd tô ansiosa ou s/ ter o q fzr. Fico aliviada em saber q ñ sou a única no mundo a ser assim e triste por saber q há uma patologia. Seu blog ajudou muito. Vou procurar ajuda. Obrigada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucilene. Como você já deve ter visto aqui eu tenho mania de cutucar as unhas dos pés. Hoje em dia só faço isso de vez em quando e consigo parar antes que as lesões fiquem profundas. Você já foi a algum médico buscar ajuda? Obrigada pela visita aqui no blog, volte sempre que quiser.

      Excluir
  54. Nossa, nunca pensei que tinha tanta gente parecida comigo. Obrigada e parabéns pela iniciativa!!!
    Felizmente, nesse tempo que estou escrevendo, não parei para dar seguimento a minha mania atual. Digo atual, porque me dei conta, recentemente, que tenho variado de mania ao longo dos últimos mais de 15 anos. Lembro de ter sempre um espelhinho ao lado da cama de cabeceira desde pré-adolescente, um potinho de água oxigenada para limpar e ver borbulhar e sentir arder as feridas...Já fiz um pouco de tudo do que foi relatado por aqui. Já tive mania de tirar espinhas, cravos, pêlo encravado, coçar e tirar casca do couro cabeludo, deixar passar um tempo para poder tirar novamente, a ponto de ficar com vergonha na hora de cortar cabelo e, por último, a mania de mexer com alicate nas cutícula das mãos. Nas unhas dos pés, faz anos que mexo bem menos e só corto no salão de beleza para não ter o risco de me machucar. Mas se a pedicure deixar algum cantinho sem tirar direito, aí é difícil de eu não me atrever a mexer...E dá-lhe sangue. Meu marido já não acredita muito que eu vá conseguir parar, porque já prometi tantas vezes e acabo recaindo, que até eu fico descrente, na verdade. A mesma coisa acontece em relação as minhas promessas de emagrecimento. Tento fazer dieta há anos, incorporar exercício físico na minha rotina também, mas tudo isso fica sempre no ritmo sanfona.
    Atualmente, esse ano, após um período em que predominou ficar coçando a cabeça e tirando casquinhas, estou numa fase longa e difícil com as minhas unhas das mãos, a ponto de não conseguir ir no instituto de beleza, porque nada que a manicure quiser fazer será possível, sem me machucar. Desconfio que eu esteja com fungo e infecção. Eu tenho depressão e já faço terapia psicoanalítica há uns 15 anos e também tomo antidepressivo. Esse ano, recentemente, estou começando outro método para me ajudar com a depressão, na área mais cognitiva-comportamental, porque a linha mais psicoanalítica ainda está devendo. Talvez não tenha tido sorte e $orte para poder ter um excelente psicoterapeuta, e acho que encontrar um bom profissional nessa área, realmente, quase que um milagre, porque se vê de tudo, bons amigos e esforçados, mas bom mesmos eu até hoje só li e conheci pessoalmente, mas não posso ser paciente, ou por ser próxima demais, ou por não ter como bancar ainda. Ah, se caro fosse sinônimo de bom terapeuta, aí eu também já estava feliz. Mas, enfim, sem desviar muito do tema, quero, como demais anônimos e não anônimos, agradecer a existência de um fórum para desabafar e trocar informações sobre o assunto. às vezes isso pode valer muito. Só quem sofre ou sofreu tem a dimensão do que se está falando aqui e por isso ter um espaço como esse é tão bom.
    Para mim, eu na prática, preciso muito melhorar, porque eu perco muito tempo da vida, seja em hora em que deveria estar sendo produtiva, como em hora de puro lazer, só concentrada e totalmente fixada nas minhas unhas e subsequentes necessidades de tratamento, limpeza, etc...
    Obrigada pela iniciativa e pela atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, muito mais gente do que pensava também. Tirar pelo encravado.... isso me lembra muita cena de dor e sangue (rsrsrs), certa vez passei muitos e muitos dias cutucando com a agulha até tirar um desses.
      Bem, eu preciso perguntar se você já foi a um psiquiatra, pois é o médico certo para diagnosticar esses casos e também para te indicar um remédio que vai te ajudar a "controlar" essa vontade terrível de se cutucar. Não tenha vergonha que você não está sozinha e nem é a única. Psiquiatra não é médico de doidos, como muita gente pensa. Aliás, quem não é doido? Todo mundo é um pouquinho louco.
      Tem razão quanto aos terapeutas. Tem mesmo gente de todo tipo. Uma vez uma psicóloga me disse que não sabia mais o que fazer comigo, como me ajudar, que já tinha tentado de tudo o que sabia e nada adiantava comigo. Pode dizer isso a um depressivo? Pois é. E eu vou muito bem, obrigada. Tem que haver empatia, você tem que se identificar com o terapeuta e ele tem que realmente se interessar pelo seu caso. Esse negócio de amigo que vai cobrar mais barato nunca funcionou. Infelizmente essa é a verdade. Não acho que o bom é o caro. O bom é o apaixonado pelo que faz, pela mente humana, pela solidariedade com a dor alheia. É difícil, mas continue procurando. Hoje eu estou indo em uma clínica aqui no Rio que atende alguns planos de saúde. É o que posso fazer.
      Há uns três meses eu tentava não cutucar as unhas dos pés para ir no podólogo arrumar e desencravar e tal. Não consegui. Fui no podólogo assim mesmo, com tudo cortado, cutucado, ferido, e pronto, há duas semanas não mexi mais. Acho que tá na hora de ir de novo porque hoje eu já dei uma olhadinha assim meio de lado para os pés.
      Amiga, tudo isso é pra te dizer que a gente vai fazendo o que pode, e de vez em quando dá uma forçadinha na barra e faz uma coisa que "achava" que não podia, pois é assim que vamos crescendo.
      Força na sua caminhada, não desista de você, continue lúcida assim como demonstra em suas palavras. E volte quantas vezes quiser para bater papo. Pode seguir a gente no Face também se quiser.
      Um abraço grande e obrigada a você pela visita.

      Excluir
  55. Estou desesperada!!! Descobri que tenho essa doença, mas ela m acompanha a muito tempo...essa noite não durmi por causa de uma espinha q mexi....ela esta tentando se cicatrizar cerca de tres meses... causou uma ferida atrófica no meu rosto...estou deprimida emocionalmente. Sinto que estou me mutilando...já procurei uma dermatologista e os lasers não dao conta do meu caso...eis que então marquei hoje marquei um cirurgião plástico tentar solucionar o meu problema...Choro muito e me sinto desmotivada para fazer s coisas...a ansiedade está acabando comigo...isso é toc? minha irmã é a única q eu posso contar essas coisas....eu espero de verdade que isso possa ser solucionado, porque nao aguento mais gastar tanto tempo pensando em como reverter meu caso...não aguento mais procurar na internet casos similares a esse e buscar soluções a partir disso...Quero viver em paz de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se des-espere. Tenha calma, respire fundo, vá à luta. Tem tratamento, funciona, basta querer. Mas ninguém pode garantir que querer seja fácil. Então, primeiro queira, depois busque ajuda de um profissional. Um cirurgião plástico vai consertar uma coisa e depois você pode arruinar outra. Tem que focar na causa e não somente no sintoma. Quer liberdade? Quer sossego, quer sentir prazer na vida com outras coisas? Se permita, busque ajuda, procure um psiquiatra. Tudo começa com o APOIO de uma medicação. Depois, quando estiver mais serena, o trabalho é duro e braçal, e só seu. Não é fácil, mas é perfeitamente possível. ACREDITE! Desespero não ajuda, piora tudo. Não é a única a passar por isso, ao contrário. Leia os comentários nesse blog, milhares de pessoas estão na mesma situação. Então, disponha deste espaço para desabafar, dividir, compartilhar sua dor, isso faz muito bem. Volte outras vezes e boa sorte.

      Excluir
  56. Pode ser controlado. Livrar-se disso para sempre eu não sei se é possível. Agora mesmo eu estou com os dedos dos pés machucados, inflamados por ter cutucado muito essa semana. Ando estressada e chateada e isso "me acalma". É preciso ficar atenta, se começar a se agravar, a ficar muito intenso, se machucar de verdade é hora de procurar o médico, tomar remédio específico e se cuidar. Ter transtorno mental, de qualquer natureza, é também manter um estado de vigilância constante. Se a gente não cuidar da gente, quem vai cuidar por nós? Obrigada pela visita, volte sempre, desabafe.

    ResponderExcluir
  57. Eu já sabia que tinha outras pessoas assim, mas não sabia que éramos tantos.
    Eu não consigo lembrar quando adquiri esse TOC, mas tenho recordações já muito novo de fazer isso.
    O interessante é que a maioria das manias eu já tive.
    Eu comecei pelos pés, mais precisamente a sola dos pés. quanto maior o pedaço da pele que eu conseguia arrancar, maior era minha satisfação. Eu gostava de ver aquele pedaço enorme e bem espesso... Depois doía a ponto de eu mal conseguir andar, e como eu precisava andar, jogar futebol e fazer coisas de menino na escola, eu forçava, mesmo com dor, as vezes mancava, mas eu tinha a percepção de que não podia deixar isso interferir na minha vida, então eu ia mesmo com muita dor...
    Quando chegava em casa, as meias até grudavam na sola, que estava em carne viva, com sangue. Esperava cicatrizar... eu esperava o máximo de tempo possível, para que a casca fosse mais espessa e eu pudesse novamente arrancar o maior pedaço possível. Depois, a pele foi ficando dura, atualmente a sola dos meus pés são tão espessa que parecem um calo gigante. Tanto que quando tenho a crise novamente, eu preciso de uma tesoura para abrir o corte inicial para começar os "trabalhos"... mas hoje em dia é muito raro isso acontecer...
    Então eu sinto como se tivesse que aliviar o TOC em outra parte do corpo.
    Na adolescência, devido a uso constante de boné mesmo com a cabeça molhada, e com banhos muito quentes (que eu sempre gostei), tive uma crise de caspa. Tratei com farmácio de manipulação, mas aí veio a mania de cutucar a cabeça em busca de caspas... As caspas voltam, mas eu tenho percepção de que elas voltam porque eu quero... eu consegui controlar a incidência de caspas... sempre que quero eu as desenvolvo, é como se eu conseguisse controlar a oleosidade a ser liberada no meu couro cabeludo e com isso tenho caspas sempre que quero, e uso esse recurso para aliviar meu TOC... Ou seja, fico arrancando caspas da cabeça. gosto de acumulá-las em uma superfície escura, tenho vontade de guardar, já enchi dois potes inteiros com caspas, mas hoje em dia me controlo e ao final jogo tudo fora... A minha maior satisfação hoje é tirar a maior caspa possível.. já tirei umas enormes (essas grandes eu gosto de carregar comigo por um tempo ou colocar em algum lugar que eu possa ver e depois quando enjoo de olhar, eu descarto)... tenho muita vergonha disso pois sei que podem observar isso no trabalho e eu procuro ser discreto, ninguém nunca comentou nada, mas n tenho certeza se já perceberam esse meu comportamento..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No começo, bem no comecinho eu também me surpreendi com a quantidade de acessos ao blog, especificamente às postagens sobre TOC. Muita, muita, muita gente tem TOC e nem sabe. Vivem angustiadas, culpadas, escondidas, envergonhadas e com medo. Informação e conhecimento são tudo.

      Excluir
  58. O pior é que quando mexo no cabelo eu fico com a impressão de que tem alguma caspa aparente, então eu continuo mexendo para ter certeza de que não tenha, e quanto mais eu mexo mais eu acho que tem caspa aparente, e isso só se encerra quando vou ao banheiro me ver.
    Se alguém chega na minha mesa do trabalho, tento me desvencilhar da pessoa para ir no banheiro o mais rapido possível...
    Quando não tenho caspa e estou entediado na rua eu preciso aliviar o TOC e para isso desenvolvi o hábito de morder os lábios por dentro... abro o machucado com os dentes com muita dor, mas sei que aquilo vai se tornar numa casca e quanto maior a ferida maior será a casca então mordo com força até sair sangue. e depois fico abrinco machucado...
    Já faz mais de um ano que não mordo mas tenho que me policiar constantemente senão volta tudo de novo.
    Outro hábito que desenvolvi tem relação com a cera do ouvido... gosto de tirar com a mão.. raspo com a unha... algumas vezes de tanto raspar abro feridas na orelha, mas a intenção não é a ferida, e sim a cera... quanto mais eu tirar, maior minha satisfação.
    Tem um outro hábito que desenvolvi quando estou sozinho que é, pasmem, a meleca. Gosto de ficar dias sem limpar o nariz... para tirar a maior e mais dura meleca possível... mas é só tirar e jogar fora... nunca tive o hábito de come-la ou guarda-la... é apenas a obsessão de tirar a maior meleca possível, como se precisasse bater meus próprios recordes.. a próxima tem que ser maior que a última... já tive o hábito de roer as unhas, mas bastou passar uma vez o esmalte amargo e muita força de vontade que perdi meu hábito. Sinto que tenho facilidade para abandonar os hábitos.. mas eu simplesmente não quero.. por exemplo, já fiquei uns 2 anos sem mexer na cabeça.. e uns 3 anos sem mexer no pé, atualmente já faz mais de 1 ano que não mordo os lábios... acho que consigo me controlar e não interfere em nada na minha rotina de vida, jamais deixo de fazer alguma coisa por causa disso, mas tenho consciência que nos tempos de descanso, eu poderia descansar mais, ou me dedicar a um estudo ou a ler um livro se eu não tivesse essas manias...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A (falsa) sensação de ter o controle é igual à de um alcoólatra: "paro quando eu quiser". É um engano. Para com uma coisa e continua com outra. É tudo uma compensação por algo que não está bem, que não vai bem. Qualquer pessoa que se corte, fure, machuque, arranhe precisa de ajuda, de tratamento. Isso não pode ser encarado como uma coisa "normal". Mas é a decisão e o momento de cada um e isso tem que ser respeitado. Por isso é que nenhum psicólogo vai bater na porta de alguém e perguntar se precisa de ajuda. Então, quando estiver pronto(a), quando sentir necessidade, vá a um médico, um psicólogo e vai encontrar a causa disso tudo. E sim, é como um passe de mágica quando você põe nome nos seus fantasmas. Boa sorte e volte sempre que quiser desabafar. Fiquei feliz com sua partilha.

      Excluir
  59. Sobre as espinhas, acnes etc, nunca tive... nem nada que atrapalhe minha aparência... sempre tive noção dos problemas de se estourar espinhas além dos riscos de cicatriz, então nunca nem pensei ou tive curiosidade, como eu disse o meu caso é bem "controlável", só não sei até onde uma pessoa que quer ter uma determinada mania de automutilação tem discernimento ou crédito para dizer que está no controle da situação... penso que eu possa comparar meu caso como alcoólatra que tem que beber todo dia, mas que não precisa ficar bêbado para saciar o impulso, bastando algumas poucas doses... mas depois de ler o testemunho de alguns aqui, confesso que fiquei perplexo e preocupado sobre até onde esse meu vício pode me levar. O que posso dizer é minhas crises têm a mesma freqüência, ou seja, não percebo que meu caso esteja piorando com o tempo... como disse comecei a desenvolver tão novo a ponto de não saber precisar a idade, e atualmente já tenho quase 30 anos e estou na mesma situação.

    ResponderExcluir
  60. tenho mania de cutucar e cortar a gengiva com a unha e so consigo para quando sangra,queria para mais não consigo

    ResponderExcluir
  61. eu também deixo a unha crescer e corto a gengiva com ela ate sangra, meus dentes estão com raiz esposta mais não consigo para

    ResponderExcluir
  62. Olá,
    Como a maioria escreveu aqui é muito bom (e ao mesmo tempo muito ruim) saber que não estou só. Depois de ler e pensar muito sobre minha trajetória de vida percebi que não sei ao certo quando comecei com o picking.
    Desde sempre tive problema de espinhas nas nádegas. Sempre horríveis, enormes, infeccionadas. Fui a diversos dermatologistas e nunca houve tratamento que adiantasse. Aos 19 tive minha primeira crise depressiva e comecei a "cutucar" meus ombros atrás de qualquer coisa que parecesse com um cravo ou espinha. Ficou feio mesmo, mas alguns meses depois eu parei. Tem uns 2 anos que esse hábito retornou e reparei que as espinhas nas minhas nádegas sumiram, ou seja, não eram espinhas causadas por algum problema de pele, era EU que as causava!!! Afinal, foi só transferir o lugar de "catar espinhas" que elas sumiram.
    Me sinto extremamente triste e ninguém entende que é mais forte do que eu. Quando vejo já estou apertando meus ombros, passando as unhas nas costas... É terrível, tenho inúmeras manchas e muitas vezes chego a ficar com o ombro inchado de tanto cutucar. Fora as manchas que se ficaram nas nádegas.
    Muitas pessoas me xingam e não entendem. Já conversei com minha psicóloga e ela pediu pra eu conversar com um psiquiatra, mas o mesmo parece não ter dado bola. Gostaria muito que tivesse um profissional especializado nisso aqui na minha cidade (Porto Alegre/RS - caso alguém saiba, por favor, me avise), pois estou cansada das pessoas simplesmente me repreenderem e não me entenderem!
    Fora o fato de eu ter q estar sempre de camiseta de manga para tapar as manchas. Isso acaba com minha auto estima. Tenho vergonha de conhecer algum garoto e mostrar meu corpo desse jeito e de ser rejeitada por ele ver o que faço comigo.
    Tenho vergonha dos olhares das pessoas, amigos e parentes.
    Hoje eu tinha que comprometido a parar e quando vi lá estava eu cutucando até ficar tudo inchado e vermelho. Foi quando resolvi buscar ajuda na internet e achei o blog.
    Obrigada por dividir seu problema comigo e com todos que precisam. Fico mais confiante ao saber que vc conseguiu mudar e acabar com esse hábito horrível!
    Vou procurar ajuda!
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  63. Comecei o tratamento com sertralina 50mg há um mês(medicada por uma psiquiatra)...não obtive melhoras com o toc de arrancar casquinhas e procurar por qualquer "coisa" que esteja em auto-relevo sobre a pele, quero arrancar. Minha mãe não se conforma com a situação, mas ela não entende que não consigo parar(tenho noção dos malefícios,mas não consigo). Por outro lado, estou bem melhor da ansiedade (minha mãe está elogiando que estou mais calma) até melhorei as notas na faculdade e meu rendimento no trabalho. Talvez quando retornar a psiquiatra ela aumente a dose de sertralina...não percebi melhora no transtorno obsessivo em me mutilar, mas que melhorei muito da ansiedade, isso está bem notório.

    ResponderExcluir
  64. Descobri que tenho TOC há poucos dias...mais o problema já me persegue há 10anos. Não deixo minhas feridas cicatrizarem...arranco todas as casquinhas, não posso sentir nada em ''auto-relevo'' pelo corpo e já estou lá...a cutucar e me machucar (inclusive na minha cabeça,chega a ficar falhas no couro cabeludo,dou sorte que ainda nasce de volta e não como cabelo). Fui em uma psiquiatra, ela que me diagnosticou...estou tomando 50mg de cloridrato de sertralina há um mês(não sei...pelos anos que sofro, acho que ainda está muito cedo para tirar conclusões) o fato é que ainda não parei de arrancar as cascas. Minhas pernas,braços,costas,rosto,atrás da orelha e no couro cabeludo, pra todo lado tem casquinhas arrancadas, sem falar nas manchas. Eu tenho consciência do mau que estou fazendo a mim mesma...mas não consigo parar...e minha mãe não se conforma com a situação (COM TODA RAZÃO) mas só quem sofre sabe o quanto é difícil. Eu tenho fé de que quando voltar na próxima consulta com a psiquiatra, ela aumente a medicação...não sei. Porque eu vejo que o medicamento me trouxe melhoras, minha mãe elogiou bastante (disse que estou bem mais calma), melhorei minhas notas na faculdade, consigo me concentrar, e melhorei meu desempenho no trabalho. Ao menos estou com algo positivo a dizer... creio que vou ficar curada. Tenho bastante força de vontade! Querer já é 50% do caminho vencido...espero que todos procurem orientação médica, e que Deus nos ajude a vencer essa mania louca. Abraço a todos(as).

    ResponderExcluir
  65. Tenho a mania de arrancar as casquinhas da cabeca huuuum e muito bom e norme o prazer que eu sinto quando as arranco fico cutulcando a cabeca o dia inteiro e quando encontro a maldita casca arranco com prazer quanto mais grande e grossa for melhor entro em estado prazeroso de sentir a casquinha deslizando sobre meu cabelo e muitoooo bom

    ResponderExcluir
  66. Oi. Como a Raquel, eu tbm sinto um imenso prazer em arrancar as malditas casquinhas. Já não importa onde estou e se tem alguém vendo. Eu simplesmente não controlo. Isso começou quando eu tinha 13 anos (hoje eu tenho 26, ou seja, metade da minha vida). Acho que não é coincidência ter sido no ano em que comecei a apresentar os primeiros sintomas de depressão. Tomo antidepressivo e ansiolítico há dois anos e pouco, mas nunca me ocorreu falar com o psiquiatra sobre isso. Achei que era uma mania minha e fiquei espantada ao ver quanta gente sofre dessa mesma mania. Quero agradecer ao dono do blog e às pessoas que comentaram. Sexta eu tenho consulta e vou falar sobre isso. Deswjo melhoras a todos :)
    Abraços!

    ResponderExcluir
  67. quem cutuca ou arranca assim como eu conheço varios,quero saber se alguém as come como eu...to com vergonha mas tenho que perguntar...

    ResponderExcluir
  68. Eu pensei que estava sozinha nessa. Eu realmente me sinto impotente, não consigo controlar. Há anos tenho isso, e soube a pouco tempo que é um transtorno. Eu ainda não fui diagnosticada, mas acredito sofrer distimia, um tipo de depressão, e o que facilita o transtorno. Bom! Sei que estou com uma parte na cabeça sem cabelos, que sempre volto a mexer, e lá está uma ferida que ha anos não deixo em paz. Tenho medo no que pode virar. E alem disso, cutuco feridas, espinhas e cravos pelo corpo inteiro. Quando estou nervosa, cutuco mais ainda. Sou muito branca e morro de vergonha de mostrar a pele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diagnósticos são muito importantes para iniciar um tratamento, para te dar um alívio, e precisa ser feito por um médico. Procure um psiquiatra o quanto antes, não tenha vergonha disso e se abra com ele.
      Também cutuco minhas unhas dos pés quando estou nervosa e preocupada com algo. É nesse momento que eu "pratico" o meu picking. E em alguns momentos eu realmente me permito fazer isso porque quando faço sinto um alívio de algo que está ruim.
      Só que hoje eu tenho um limite que me impede de me ferir, de sangrar, de provocar feridas e eu consigo parar antes de me mutilar.
      Foi preciso médico, remédio, terapia, autoconhecimento, e muita, muita disciplina.
      Não se culpe, não se envergonhe dos seus sentimentos, busque ajuda profissional, tem tratamento e é possível viver bem apesar disso.
      Um abraço e boa sorte.

      Excluir
  69. ola ..bom eu tambem estou passando porisso se vcs imaginassem como estao meus dedos e a sensaçao de prazer que tenho qd sinto dor..realmente é incontrolavel, mas eu tive uma ideia,,que tal criarmos um grupo no face para trocarmos experiencias e fotos, assim poderiamos auto nos ajudar , contar relatos e muito mais, eu adoraria ajudar e ser ajudada bom quem estiver a fim é so me procurar no face e deixar msg imbox, para criarmos o grupo ...bjinhos a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  70. Ola. Sofro desse problema ha anos e agora que tive coragem de pesquisar a respeito...arranco casquinhas da cabeça ha anos, MTS anos mesmo. Tenho hj 20 anos. Já tentei parar, mas não da. Tomo antidepressivo pois sofro de depressão, sera que isso e um TOC? Estou realmente preocupada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser apenas um comportamento compulsivo, pode ser um outro transtorno de ansiedade, podem ser muitas coisas.
      É preciso discutir isso com seu psiquiatra. Se for TOC ele vai ter recomendar o tratamento adequado ao seu caso e com o tempo você vai conviver bem com isso. Acredite em você, é possível.
      Boa sorte.

      Excluir
  71. meu nome é Fladson sofro de skin picking sem saber... a mais ou menos 2 anos sofri de depressão e tentei suicídio... hoje fico arrancando as casquinhas de caspa da cabeça... uma vez saiu sangue... mas cicatrizava e continuava a tirar e comer... tinha o cabelo grande e não observava como ficava o coro cabeludo, cortei bem baixo e pude observar que no lugar não tinha cabelo... ficou parecido com rabuge de cachorro! aí busquei na Internet e agora sei que tenho skin picking. obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fladson, para concluir que você tem transtorno obsessivo compulsivo é bom que você procure um médico psiquiatra. Se for confirmado, ele vai iniciar um tratamento.
      Obrigada pela visita ao blog, volte sempre.

      Excluir
  72. Comecei com esse comportamento há um mês e sinto que já está se tornando grave, estou com feridas horrorosas na região da nuca e nas nádegas. O estranho é que me parece que tem a ver com a medicação que estou usando para depressão, pois coincide com o tempo de uso do remédio. Gente, isso é ruim demais!! é uma auto-mutilação. Sou psicóloga e nunca tinha passado por isso e nunca atendi ninguém com esse problema, o que observo em mim, é uma ansiedade muito grande e, no momento em que estou arrancado as cascas do machucado é incontrolável, se não fizer, a ansiedade não passa. Já acrescentei ansiolítico ao meu tratamento e não passa. Ontem o médico diminuiu a outra medicação pra ver se melhora. Não sabia que tanta gente sofria com esse comportamento. Procurem ajuda, é muito sofrimento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E as pessoas ainda acreditam que os psicólogos são imunes e não passam pelos mesmos problemas que os "mortais". Sei que você vai superar isso e que no final vai poder ajudar outras pessoas com muito mais propriedade e conhecimento de causa. Tenha fé, fé em Deus, fé em você.

      Excluir
  73. Eu como muitos aqui, tbm tenho essa maldita mania de arrancar feridas da cabeça, não imaginava que se tratava de algo tão grave,e que muita gente tbm sofre com esse problema.É algo incontrolável, vivo com a mão na cabeça tirando as casquinhas de feridas e guando às tiro é um enorme prazer p mim.Lavo a cabeça todos os dias para que as casquinhas se formem se tornem em feridas maiores para q a recompensa seja maior em tira-las sinto que no lugar da feridas já tem falha de cabelo chega a sangrar de tanto que cutuco fico com os dedos cheios de sangue, sei exatamente onde estão as feridas e já vou certo nos lugares.Isso me angustia e entristece muito, pq meu cabelo era liso comprido bonito,mas agora ta uma palha pq arranco junto com as feridas sem qrer e tbm lavo muito meu cabelo.Tento fazer hidratação no meu cabelo p vê-los bonitos e tentar não arranhar minha cabeça,mas.. guando menos imagino lá estou eu com a mão na cabeça me auto mutilando não sei mas o que fazer, percebo que guando estou nervosa a coisa piora ainda mas, morro de vergonha não consigo parar com isso.Mas pelo menos ja ví que não é só eu que sofro desse mal.Agradeço ao blog pela informação.Abraços a todos e que DEUS nos ajude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abraços fraternos...
      Que nós sejamos capazes de ajudar a Deus na tarefa de cuidar de nós.

      Excluir
  74. Olá amigos!
    Também é uma surpresa pra mim que existam tantas pessoas c o msm vício. Já tinha ouvido falar de pessoas q arrancam cabelo, outras comem, outros se machucam num nível que e preciso correr p o médico. Mas nunca achei que o ato de coçar e arrancar coisas da cabeça e da pele fosse tão sério.
    Concordo que normalmente uma mania pode começar por um trauma, uma ansiedade, por depressão e etc. E que ela vai se tornando crônica (aumentando a qtdade de vzs, ou invertendo locais, criando mais vícios ou ainda piorando o nível de mutilação).
    Mas hoje eu vejo que devemos cuidar de nós. E mais do que isso, atentarmos aos detalhes da nossa vida. Nada acontece por acaso. Aki, agora, com vcs, pude enxergar q tenho um problema devido a isso e jamais imaginei. Pois com o passar do tempo nem reparamos no nosso comportamento e no qto ele é destrutivo.
    Vou contar o meu caso. Nunca tive depressão. Vou ao psicólogo (e acho que todos na vida deveriam ir p se auto conhecer) por causa de problemas passados conjugais. Tb tenho mania de organização (herdei da minha mãe). O que em parte e solução, e não um problema. E acredito que eu tenha um certo controle disso. Visto q as vzs faco bagunca, posso ficar brava c alguem tb, mas logo passa.
    Mas desde criança tenho o vicio de coçar a cabeça involuntariamente, msm sem ela coçar (acredito q somos capazes de até criar no nosso imaginário essa coceira...). Há vzs em q machuca e cria casquinha e como vcs citaram é prazeroso ter o que fazer com as mãos. No entanto meu couro cabeludo é liso e tenho q me contentar em coçar...
    Claro que já passei a ter outro vício (visto q tenho 31 anos e nunca cuidei disso, pois p mim acontece em fases e não o tempo todo e por isso n achei q fosse sério), o de mexer no rosto e pele num geral. E qdo vc entra nos 30...meus amigos...a pele já piora por si só. Agora que mexi, está péssima! =o[
    Pra piorar, meu marido deixa q eu faça nele! Pois tb tem uma leve mania de espremer espinhas.
    E observaram qdo eu citei fazer algo c as mãos? Só pode ser ansiedade.
    Mas graças a Deus hj não passo por nenhuma dificuldade grande na vida. Acho que é aí que eu me encaixo. Não precisa ter morrido ng p que comecemos a desenvolver esse tipo de coisa. E como tds tem manias...vão passando despercebidas no começo.
    Em fevereiro deste ano meu cabelo começou a cair absurdamente. Fiz todo tipo de exame, já passei c vários especialistas. Estou com 1/3 do cabelo que tinha e nada demais foi descoberto. Na vdd estava na beira da anemia e o médico achou melhor tratar. E não resolveu a queda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michelle, eu também me assusto até hoje, com tantos anos deste blog, em ver quanta gente igual a mim, tanta gente sofrendo calada e se sentindo só, se sentindo uma aberração, ou mesmo perdida sem saber que um comportamento "bobo" é tão destrutivo.
      Meu TOC já assumiu várias formas, já me trancou em casa, já prendeu meus pés em sapatos calorentos em pleno verão, já me deu rugas em volta da boca, já me arrebatou de exaustão depois de longas horas de faxinas intermináveis, enfim, já me dominou de várias maneiras.
      Mas ele foi perdendo terreno à medida que eu, sorrateiramente, fui conhecendo suas estratégias. Depois de anos, eu sei quando a ansiedade está subindo e posso ver o TOC vindo lá longe, sorrindo pra mim seus dentões amarelados. E me preparo. Quando ele chega, já nem me olha nos olhos, faz uma gracinha e vai embora sem moral.
      Também tenho essa queda de cabelo aí. Tomo Pantogar, é só parar que volta a cair tudo de novo. Não tem explicação, exames todos normais, ou melhor, tem explicação, né?! A gente vai levando.
      Quanto mais a gente se conhece, mais forte a gente fica.
      Venha papear mais vezes! Um abraço.

      Excluir
  75. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  76. eu machuco minhas orelhas e um sinal que tenho no pescoço mais é mania porque eu odeiu tirar casca e nem espinha eu expremo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que é mania? Se você odeia tirar casca, por que machuca as orelhas e o sinal do pescoço?
      Já se perguntou isso?
      Um abraço!

      Excluir
  77. Ler esses depoimentos de certa forma me faz bem em saber que não sou a única a passar por isso. Todos os dias me pego arrancando casquinhas da cabeça, costas, braço e estou cheia de manchas horriveis, mas não consigo parar. As pessoas acham que é só querer, que é fácil, mas, só a gente sabe. Quem gostaria de se sentir feia, cheia de manchas até no rosto? Não é fácil e percebo que ultimamente tá mais forte, mais constante.

    ResponderExcluir
  78. Nossa não sabia que isso era doença , eu achava que era normas e que eu er a a única a fazer isso , cara eu me sinto um LIXO , todas minhas amigas tem a pele lisinha , eu tenho vergonha de usar regata , blusinha curta , ate biquíni porque meus braços são ORRIVEIS cheio de marcas escuras e ate feridas , do cotovelo pra cima é todo marcado tenho acnes dai extremo e cutuco ate virar ferida quando sara , arranco a casquinha e vira manchas , mesma coisa nas costas , ombros , bum bum e ate testa , eu sou linda mas isso estraga comigo , sempre evito usar roupas que mostrem meus braços e costas as vezes ate uso mas como meu cabelo é comprido eu tampo os bracos com ele , eu me sinto mal , tenho vergonha de mim , as vezes saio caminhar e como qieria usar meu cabelo amarrado com uma regata mas não da é orrivel me sinto mal feia , sempre alguem pergunta " vc tem catapora?" eu me odeio , por causa disso minha família axa q faço isso pq quero , na vdd queria morrer me sinto muito ridicula

    ResponderExcluir
  79. Olá ... Tenho esses problemas de se machucar dês de criança , e nunca deu importância p isso ... Porém agora tenho 2 lugares na minha cabeça em q cossa muito e não tenho controle ... Minha unha não me basta mas então agora uso uma agulha p me ajudar a arrancar a pele e ferir , o pior eq msm assim não para de cossar ... Já cheguei a passar a noite acordada por causa disso ... Me sinto muito mal quando as pessoas percebem feridas e me perguntam Oq aconteceu ... As vzs me sinto como uma viciada q não tem controle de si ...
    Mas hoje lendo esses depoimentos pude ver q não sou só eu e q talvez seja a hora de procurar ajuda ... É muito difícil vc ter reações diferentes e não saber como lidar com isso 😞

    ResponderExcluir
  80. Eu conheço várias pessoas como eu que fazem isto... coçam... ferem e cutucam... cutículas... braços... o que estiver ao alcance e que tiver algum tipo de carocinho... pensei que não fôssemos tantos... nesse momento estou cheia de feridas... as cascas estão enormes... e cada dia pior... tenho muita vontade de me tratar, mas não sei onde procurar... psiquiatra gratuito não é muito fácil de encontrar...

    ResponderExcluir
  81. Eu também tenho essa compulsão e não sei oque fazer para parar, fico cutucando em volta das minha unhas com o dedo ou com a boca,quando eu vejo já está sangrando.Mesmo quando eu não estou sozinha eu faço isso eu não consigo me conter é mais forte que eu ,sinto um alivio ao fazer isso em vez de dor. Sempre escondo meus dedos pois morro de vergonha !

    ResponderExcluir
  82. Bom, tenho 15 anos e há quase um ano sofro desta mania, mas apenas hoje descobri que tudo isso é a doença. É triste saber isto e ao mesmo tempo bom por saber que não é uma manizazinha e sim uma doença que pode ser tratada com um profissional. É bom e ruim saber que não sou a única. Sofro desta doença na cabeça. Escrevo este posta chorando muito, pois é duro descobrir isto. Tenho vergonha da minha cabeça, vergonha de ir ao cabeleireiro, vergonha de andar com cabelos soltos, pois as vezes ele está com odor por conta das lesões. Tudo começou com poucas caspas, eu tentava tirar elas, as caspas acabaram e então eu cutucava a cabeça para tentar descobrir se havia, então essa mania de cutucar se tornou coceira, as coceiras se tornaram feridas e quando me dei conta já estava arrancando aquelas feridas. É prazeroso pra mim arrancá-las como se tirasse meu estresse, minha tensão ou até mesmo para me tirar do tédio. Chorei após ler os comentários e o post, pois percebi o quanto estou me fazendo mal. Arranco as feridas e corro no banheiro para tentar estancar o sangue, mas após algumas horas ao ver que aquele sangramento parou e que a casca está ainda maior, eu volto a arrancá-las. Nunca espero passar nem um dia, é só questão de horas. É incontrolável. Acontece em todos os locais, tanto na escola, como num restaurante. Não dá pra parar... Fui ao dermatologista, mas relatei apenas que estava ferido por conta das caspas, pois não tive coragem de falar que estavam feridas por que eu arrancava tudo, a todo momento e que não parava. Ele me disse que isso podia sair com um remédio de uso externo passado para usar na cabeça, usei e ainda uso, isso quando me arrependo de ter arrancado as feridas, mas passa-se algumas horas e já estou eu de novo arrancando as feridas. Tofos os dias prometo a mim mesma parar, e eu juro que tento, mas não dá. Na minha cabeça e o seguinte: "isto é por conta de caspas" mas não existem mais caspas. "Vou lavar meus cabelos com anticaspas e usar meu remédio, então pararei, mas antes de fazer isso dou uma " última vez" e arranco todas, mas após o uso do remédio nada é resolvido" e volta a arrancar tudo. Não sei mais o que eu faço, minha mãe já percebeu isso, ela acha que é mania, o que eu também achava, mas percebi que é algo bem pior que isso e preciso revelrar a ela, para que me leve a ajuda psiquiatra e ao médico. Espero que todos que comentaram e que sofrem de tal compulsividade melhorem, e que os que ainda não descobriram, descubram... Obrigado por me abrir os olhos a algo que está me fazendo uma mal tão grande, eu vou procurar ajuda e tentar parar, mas não desta vez parar de mentira, mas agora que Vi o grau da situação vou tentar parar, não sozinha, mas sim acompanhada psicologicamente e medicamente. Mais uma vez OBRIGADA!!! ESTE POST E OS COMENTÁRIOS ME AJUDARAM DEMAIS! TORÇO POR CARA UM!

    ResponderExcluir
  83. Sou a menina dos 15 anos, que tem o problema de arrancar as feridas da cabeça. Do último comentário. Tentei falar pra minha mãe, mas ela não ne levou a sério, achou que era besteira. Não tenho mais a quem recorrer. Chorei muito, mas não deixei que ela visse. Ela acha que é apenas mania, e não acredita que seja algo como esta doença. Não sei o que fazer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leitora, como está você? Compreendo e compartilho do seu sofrimento. Ouvi e ainda ouço de alguns familiares que depressão "é falta de serviço"!
      Espero que você tenha conseguido conversar melhor com sua mãe, ou que tenha falado abertamente com a dermatologista, que também é uma profissional que pode encaminhar para o tratamento adequado, e até mesmo conversar com o responsável por você.
      Desejo que você retorne aqui e conte suas notícias.
      Um abraço fraterno.

      Excluir
  84. Estou passando por isso agora, minhas unhas eram curtas então eu escolhia come-las, quando decidir parar e deixa las crescer, comecei a me cutucar, cutuco principalmente meu rosto e minhas costas, espinhas viram feridas enormes, meu rosto esta ficando muito marcado, não sei o que fazer. Resolvi hoje procurar algo sobre isso, e encontrei esse post antigo. Não sei o que fazer, quero parar, mais não consigo.

    ResponderExcluir
  85. Oi, achei o blog procurando resposta para o que estou fazendo a alguns meses, coço a cabeça compulsivamente, eu tento controlar mas quando percebo estou coçando até machucar, a cabeça arde e mesmo assim fico procurando onde coçar, onde ter alguma casquinha pra arrancar, com isso estou perdendo os cabelos. Comecei depois de ter problemas com meu peso e ter que fazer reeducação alimentar, consegui perder os 15k, mas essa mania está me enlouquecendo, amo meus cabelos e não estou conseguindo me olhar no espelho porque estou perdendo eles, já tomo remédio para a ansiedade mas não tenho resultados, já não sei mais o que fazer. Gostaria de saber se alguém que teve o mesmo problema se conseguiu resultado em algum tratamento. Obrigada.

    ResponderExcluir
  86. achei que era unica a coçar a cabeça, tirar casquinhas e saber onde todas estão.. Fazer isso todo dia.. Isso virou rotina, ja sei até quando elas se formam novamente, é estranho ser prazeroso mas é, e muito! Relaxo quando faço isso.. Mas quero mudar, pois meu couro cabeludo fica ferido e irritado.. Agora que sei oq tenho, vou me tratar..

    ResponderExcluir
  87. Também tenho este problema. Achava que era a única e que era normal. Coçar a cabeça até machucar e depois ficar arrancando as casquinhas. Tudo que estou fazendo no meu dia a dia , faço coçando a cabeça. E não sangra e sim sai um liquido estranho :/ não consigo parar de coçar. Minha cabeça é toda lesionada por causa disso. Queria muitome curar disso :'( isso atrapalha minha vida :(

    ResponderExcluir
  88. Eu tbm sofro com isso é muito triste vc não conseguir ficar um dia sequer sem arrancar as casquinhas é horrível comecei com um diagnóstico de síndrome do pânico e ansiedade tomo remédios há 8 anos e algum tempo começou a desenvolver mas essa doença me lesiono por todo corpo a cabeça está totalmente cheia de feridas ainda não falei p meu médico pois eu estava grávida e tinha melhorado mas agora voltou com força total e muitas pessoas não nos entende acha que é porque não fazemos nada da vida mas eu acredito q Deus vai me curar!!!!

    ResponderExcluir
  89. Eu tbm sofro com isso é muito triste vc não conseguir ficar um dia sequer sem arrancar as casquinhas é horrível comecei com um diagnóstico de síndrome do pânico e ansiedade tomo remédios há 8 anos e algum tempo começou a desenvolver mas essa doença me lesiono por todo corpo a cabeça está totalmente cheia de feridas ainda não falei p meu médico pois eu estava grávida e tinha melhorado mas agora voltou com força total e muitas pessoas não nos entende acha que é porque não fazemos nada da vida mas eu acredito q Deus vai me curar!!!!

    ResponderExcluir
  90. Nossa fiquei impressionada com tantos comentários, Tava tentando entender uma mania horrível que tenho de chupar dedo e arranhar meus lábios e ao redor da minha boca ao mesmo tempo, minhas unhas vivem só no toco e meus lábios revelados e ardidos, pensava que era mania, mas ultimamente, não faço mais nada, custo fazer comida e cuidar do meu bebê, a verdade é que me sinto doente, desanimada, se me estressso é pior, porque só me acalmo assim. Tô gorda, feia é sem vontade de fazer nada.

    ResponderExcluir
  91. Olá pessoal !

    Bom , eu sou muito possessiva , e compulsiva , quando se trata de coçar minha cabeça ! Nossa ... isso já virou parte dos meus dias ! Faz quase um ano que comecei ! Comecei coçando normal aí formou uma ferida . Aí eu não deixava cicatrizar , e assim foi se formando várias feridas ... eu vi várias pessoas comentando a mesma coisa que eu faço , que é deixar algumas horas para a cicatrizacao , e depois estão bem cascudos , aí coço , arranco as feridas , e cheiro ( virou mania coçar ferir e cheirar ) e isso me dar MT prazer . Arranco até meus dedos sangrarem , quando sangram eu fico triste e cm dor . E prometo parar mais quando vejo já estou lá de novo ! Em alguns lugares já cicatrizaram chega ficaram escuras as feridas que não coço mais elas , atualmente coço uma bem no meio da cabeça , é MT bom mais todos podem ver :/ mais a partir de amanhã eu paro :(

    ResponderExcluir
  92. Meu nome é Julia, sofro desse mal a quase três anos, meu problema não é com o cabelo mas com o meu rosto! Tenho mania de perfeição e tenho picos de alto estima, as vezes me sinto muito bem, mas na maior parte do tempo fico bem deprimida e me lamento da minha vida e não consigo resolver nenhum dos meus problemas.. Vou me olhar no espelho aperto uma bolinha que toda pele tem, corro pro banheiro sem pensar tiro a maguiarem e começo a me apertar freneticamente aperto lugares onde não tem nada! As vezes me controlo mas muitas vezes nao! Fico deprimida não saio de casa até melhorar! Muitos não me entendem e quando me vêem não conseguem me compreender pq nao tenho espinhas.. Vou a psicóloga, já fui ao psiquiatra, comecei a tomar remédio mas piorei muito.. acho que o problema foi que na minha cabeça não era real o que eu fazia so era a julia ansiosa se cutucando para se acalmar.. mas minha mae nao aguentava mais me ver dessa forma, entao fui atras de respostas e achei muitas pessoas que passam pelo mesmo mal que eu! Assim surtei! Comecei a me apertar muito mais.. Parei de tomar o remédio e por períodos melhorei mas sempre tenho recaídas quase toda semana.. Não aguento mais ser minha pior inimiga! Vou a psicóloga 2 vezes na semana e sempre que saio dela chego em casa acabada de nervosa, ansiosa e quando menos espero me aperto.. Estou na escola ainda e corro o sério risco de reprovar por falta! Não quero mais ser assim, acabo me excluindo da vida! Queria me entender mas não consigo! Tenho uma família maravilhosa que me ajuda e me apóia em tudo, amigas incríveis, dinheiro, roupa, festas e homens atrás! Tenho um corpo que muitas queriam ter! E mesmo assim sofro desse mal fico péssima tenho vontade de me matar as vezes.. queria compartilhar minha história pq pela primeira vez quero fazer diferente! Me apertei ontem a noite! Estava com o rosto lindo sem nada na testa e nas bochechas, agora estou com feridas por todo o meu rosto.. faltei na escola hoje e não vou pelo resto da semana.. quero mudar mas não sei o que fazer! Demoro muito tempo para me recompor e por um mínimo descuido de atenção eu me aperto inteira e acabo com todo o progresso que eu tinha feito! Não aguento mais!! Queria saber se alguém passa o mesmo que eu.. e se conseguiriam me ajuda..

    ResponderExcluir
  93. Percebi que nao sou a única que sofre desse mal. Nao sei o que fazer. Quando vejo ja arranquei a casquinha. É mais forte que eu. O que posso fazer para conseguir vencer este mal. ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simone, responda pra você mesma: o quanto você se machuca? Esse ato te expõe diante de outras pessoas, você precisa esconder marcas, feridas? Você se sente impedida de usar roupas que gosta ou de usar maquiagem, de arrumar o cabelo ou fazer algo que goste?
      Enfim, reflita o quanto essa atitude tem tirado de você uma parte da sua liberdade.
      Um abraço!

      Excluir
  94. ha uma semana descobri que minha filha tem esse trantorno ela tem uma ferida no alto da cabeca que apareceu ja tem uns quatro anos nunca sara e nem nesce mais cabelo meu esposo tem o mesmo problema so que no caso dele arranca todas as cascas q ve pela frente inclusive no rosto ,espinha nele e a te mesmo na gente se deixar,,,e tambem na minha filha,qdo falo com ele do problema parece q tem vergonha desconversa no caso da minha filha ela ataca mais esta da cabeca pelo corpo ate que nao...mas enfim nao sei mais o que faco principalmente com minha filha q e uma crianca ainda o derma passou os medicamentos para tratar a ferida ainda nem terminou de tomar ..mas depois?? as causas do disturbio..dessa compulsao;;;estou perdida onde busco sei la a cura se existe..psicologo..psiquiatra..tenho muitas duvidas ainda e novo pra mim ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida leitora, precisamos lembrar que há diferença entre transtorno obsessivo e mania. E manias, de algum modo, praticamente todos nós temos. Mas um diagnóstico só pode ser feito por um profissional, pois não é uma questão fechada, depende da observação de vários fatores que variam de pessoa para pessoa. As abordagens feitas certamente serão diferentes para seu marido e sua filha. Mexer em feridas é uma coisa que precisa de atenção sim, pois envolve contaminação, riscos à saúde de quem o faz.
      Se me permite, aconselho a procurar um psicólogo, e irem em família, todos juntos. Lá o profissional vai ouvir e orientar o caso, pois pode ser que ele atenda à família como grupo, ou que cada um de vocês seja atendido por um profissional diferente.
      Fique tranquila, acalme seu coração, tem tratamento sim, mas é preciso que, especialmente seu marido, que já é um adulto, queira se tratar. O primeiro passo e o mais importante tem que ser do paciente.
      Conte com a gente aqui, veja desabafar sempre que quiser, dê notícias.
      Um grande abraço!

      Excluir
  95. Eu, desde que me entendo por gente tenho tenho feridas em minha cabeça. Pequenas, mas que aumentam a medida que eu tiro as cascas. Quanso minhas unhas estão pequenas, eu uso a parte inferior da agulha.

    No primeiro momento me sinto bem por fazer isso, mas depois que não resta nenhuma casca para ser retirada, sinto muitas dores, são feridas que ficam expostas, sangram e outras até ficam inflamadas.

    Quando mais nova minha mãe procurou vários médicos especialistas. Cheguei a fazer raspagem, biopsia e nada, nem mesmo alergia foi identificada.

    E dependendo do meu estado emocional elas surgem com maior facilidade. Não sei se posso me identificar com transtorno mencionados por vocês,tenho dúvidas se é isso de fato que eu tenho.

    O que eu sei é que nesse exato momento estou com a cabeça ardendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure ajuda profissional, converse. O mal nem sempre é físico, pode não ser palpável, visível. Às vezes se esconde (ou nós o escondemos) em becos escuros da alma. Sua mãe te levou já faz algum tempo, não é mesmo? Que tal agora você procurar ajuda novamente?
      Comece por um psicólogo, e, se ele achar por bem, te indicará outros especialistas.
      Um abraço!

      Excluir
    2. Olá meu caro e caras;
      Tenho lido todos os post ao longo deste anos, mas fico muito receosa de falar algo, que eu não tenho certeza, a não ser no senso comum. E gostaria de dar minha contribuição, pois fazem 2 anos que postei algo sobre meu sofrimento, e acho interessante responder, a atual situação de cada um, no meu caso o meu. Então pessoal, tenho lido tudo com muito carinho, e me entristeço de ver tantas pessoas estarem passando por sofrimentos do tipo.
      Minha situação de pele melhorou, mas continuo na luta, agora com 31 anos, ainda não alcancei meu objetivo, que seria controle do TOC, mas ainda sim tenho um controle muito melhor que antes.
      Fico receosa de dizer, pois cada caso é um caso, e o seres são únicos e diferentes uns dos outros, mas aqui vai minha humilde opinião e experiência. Demorei muito, muito mesmo pra descobrir que o maior sofrimento que vivia, não era o da doença em si, e sim os rompimentos que fiz por conta da doença, esse rompimento que fazemos conosco por consequência da doença é muito mais sofrido, mas precisei passar por tudo isso, para entender, mais de 25 anos até que eu entendesse alguma coisa, de tantas que ainda me faltam.
      No meu caso rompi com minha infância, pré adolescência, começo da vida adulto e ainda me sinto aprisionada em meio a condicional livre. Quando digo rompimento, digo se privar de tudo que li aqui, e oque consequentemente acabei fazendo também. Deixei de sair, de brincar, de sorrir, de trabalhar,( e muitas das vezes que trabalhei, era uma luta), de realizar meus sonhos, de ver o sol passar, o verão , para que eu pudesse me esconder, porque não havia lógica eu sair em pleno sol quente de manga comprida de tanta ferida nos braços e na canela, que é meu caso, e também interromper outros que estavam vivendo por conta da pele, que no meu caso seria, teatro, desfiles, esportes(natação) e todos aqueles que no fim para participar de uma equipe, necessitava de uniforme e isso inclui shorts, algo que não uso de maneira alguma e nem usava.
      Pois infelizmente a sociedade exige um meio “padrão”, de pessoas “saudáveis”, e tudo que foge do cotidiano “normal” as pessoas discriminam, doí dizer mas essa é a nossa realidade, que vem mudando aos poucos, e melhorou um monte, se não cuidarmos acabamos reproduzindo isso, como eu fiz, ao invés de me aceitar, me rejeitava por não ser parecida com as pessoas aparentemente sem problema nenhum visível.
      Hoje faço tratamento dermatológico, e me livrei das injeções de cortisona, pois era a única coisa que funcionava para não ter uma crise atrás da outra, a cada 15 dias á 1 mês dependendo, só que infelizmente a injeções traziam e trazem muitos prejuízos futuros ao longo do tempo, um deles e mais leve, ficava que nem sanfona , engordava emagrecia ,pura loucura e agitação , mas era o único jeito de eu ficar sem coçar por uns dias, que nem ou pior que sarna , fora tudo isso, sem falar as vozes insistente que eu tinha dede pequena de arrancar a casca, lembro-me que prometia pra mim mesmo, todos os dias ao dormir, ao longo de muitos anos, vou acordar e não vou me cutucar hoje, me segurava ao máximo mas no fim, travava e só conseguia sair do lugar, enquanto eu não tirasse todas as cascas que tinha no corpo, daí vinha o sentimento de culpa, porque não consegui, sou fraca, sou doida, vixii não aceitava o fato de fazer mal a mim mesma e privar a mim mesmo, ou seja vivia em conflitos, não conseguia prestar atenção em nada, em ninguém, era taxada como burra, lesada, distraída, sempre tive muita dificuldades na escola,


      Excluir
    3. continuação;
      sempre era a última em tudo que fazia, fui criando insegurança, baixa estima, momentos de revolta, porquê já tinha o TOC, mas foi diagnosticado como alergia a mosquito na infância ao qual foi se agravando , e meus pais também não deram muita atenção, por ignorância, desconhecimento, coisa do tipo na época, e o tempo passou em fim, o resto vocês imagina né, como citei lá em cima, cada caso é um caso, e o meu é longo, 31 anos pra contar..
      Mas por fim tomo muitas medicações ainda que me ajudam a controlar, sem obter tantos prejuízos a saúde ao longo do tempo, e uma boa terapia ajuda muito, na qual não estou fazendo no momento, por falta de tempo e outros...mas pretendo voltar.
      Com tudo quero dizer, não sejam prisioneiros de vcs mesmo, mate um leão por dia se for necessário, chorem, gritem, reclame mas não desistam nunca de vocês , não se interrompam como fiz, nem façam rupturas, hoje as consequências são muitos maiores psiquicamente e mais difíceis de lidar, e sem falar que vamos aderindo outras coisas, por conta da fragilidades que já temos ,não cheguem a este ponto...Hoje com tudo, vivo muito feliz, aprendi aceitar meu mundo, a ouvir minha própria voz, a aceitar como sou, a aprender viver com minha limitações, sempre procurando alternativas claro, de roupa de tudo, mas esse é o primeiro passo, aceitar e entender que cada um carrega uma história, e aceitar da maneira que se manifestou em cada um a sua história.
      Uma coisa que ajuda muito, se tiverem, ou quem tiver, religião (não importa qual) naquela que vc acredite e tenha fé, palestras, trabalhos comunitários em hospitais principalmente, mudar hábitos, pensamentos negativos, pessoas que não lhe entende e não lhe fazem bem, e por aí vai. Uma outra coisa que me ajudou muito a entender um pouco da psique humana, foi o livro do Augusto Cury,( Felicidade roubada), no começo até o meio, o livro é meio estranho, mas do meio por fim, que está a lógica mental de tudo que passamos, este livro me ajudou um monte, e dai percebi que todos nós estamos sujeitos, parei de me sentir culpada por tudo, e comecei a entender que eu era uma vítima e precisava me adequar, tanto quanto as outras pessoas que sofriam outros transtornos ou igual.
      Hoje sou muito mais feliz, mesmo com minhas limitações, elas não impedem mais, de ver o lado bom da vida, e como isso é tão pequeno, quanto as outras doenças. Tenho minhas recaídas claro, mas são cada vez menores e menos constantes.
      Demorei para criar coragem de escrever kk, afinal é muito complicado explicar um Ser Humano, através de uma história contada a grosso modo, fora a preocupação de interpretações e coisas do tipo, pois cada um tem um contexto de vida individual, e sua subjetividade.
      Espero de coração, poder ajudar alguém, com meus post, nem que seja a senso comum.
      Fiquem na paz.


      Excluir
    4. Vivian...
      Que linda história! Me emocionei com seu relato e especialmente com suas palavras de força e incentivo aos outros leitores. Compartilhar experiências faz bem pra todos, faz um grande bem pra quem compartilha. Esse trabalho voluntário em hospitais e casas de repouso é muito interessante para entrarmos em contato com outros espelhos além dos nossos, e enxergarmos um pouco além.
      Muito, muito obrigada mesmo pela sua coragem (já que você diz que demorou para tê-la) em escrever esse texto e nos abraçar com um pouquinho da sua vida. Sei que muitos irão se inspirar.
      Volte mil outras vezes.
      Uma flor pra você!

      Excluir
    5. Vivian, queria pedir sua permissão para transformar seu comentário em uma postagem. Podemos falar sobre isso pela minha página do Facebook. É só curtir Jardins da Depressão e depois enviar uma mensagem pra mim. Vou ficar esperando! Bjs.

      Excluir
  96. Boa noite Márcio, que bom que a senhorita gostou.A intenção é está mesmo,ajudar ao próximo,e se achas que vai contribuir,fique á vontade para postar,como queira..Obrigado pela ética de perguntar.bjs💟

    ResponderExcluir
  97. Ops..Márcia.Foi mal e obrigado pelo carinho e acolhimento.bjinhos🌹

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bjs. ;) (não sei fazer essa florzinha bonitinha não...)

      Excluir
  98. Olá sou Tayla e há muito tempo venho percebendo o quanto destruo meu rosto e minhas unhas todos os dias por nada, mas a vergonha de saber que isso tem que ser tratado imediatamente me deixou escondida e completamente aceita por essa mania, mesmo eu achando tão absurdo o que eu faço. Adorei saber que estamos em grupo e que todos estamos passando por situações basicamente iguais. Pois só pessoas que passam pelo mesmo que nós, sabe o quanto é ruim ser julgado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tayla, muitas vezes o maior preconceito é o nosso. Aceitar que precisamos de ajuda é o primeiro passo. E nem é preciso colar um adesivo na testa dizendo: OI, EU TENHO TOC!. É uma relação que precisamos manter coma gente mesma, entende?! Melhor você estar no controle da situação do que estar sendo dominada por uma "mania", certo? Melhor você mostrar quem é que manda nessa bagaça!!!! #prontofalei
      Sério, agora. Sim, somos muitos, estamos aqui dando nossos depoimentos, nos ajudando. Alguns estão dizendo como fizeram para melhorar suas vidas. Outros ainda estão começando, E QUE BOM QUE ESTÃO COMEÇANDO! Quer começar também? Aqui neste espaço você pode desabafar, pode perguntar, pedir um conselho, trocar uma ideia, e dar uma ideia também. Se você já está vindo pela enésima vez, já sabe como todos ficam bem à vontade, mas se é a primeira vez, navegue por outras postagens. Nesta aqui http://goo.gl/dszoUO tem uma matéria bem interessante sobre como os jovens lidam com TOC e manias. E há muitas outras. Pense aí como vamos começar a agir, e volte pra contar pra gente, ok? Um abraço.

      Excluir
  99. Tb sofro de picking , lendo tudo agora ... talvez desde a infancia ... sempre algo , ou cascas de feridas , ou coçar ate fazer uma ferida .. e nesse exato momento com as unhas cheias de sangue .. das feridas da cabeça ... rs "çocorro"

    ResponderExcluir
  100. Boa tarde pessoal! Hoje pela primeira vez em toda minha vida vim pesquisae sobre esse mal que me rodeia desde que eué conheça como gente e olha que já estou com 41 anos.Até então tive o hábito de arrancar cascas de feridas que spre tive nos mais diversos locais de meu corpo, não me recordo de um dia sequer ficar sem uma ferida. Aí qdo paro pra pensar sobre esse mal que parece que me percebe e não tem fim... Até o presente momento achei que isso fosse coisa que eu havia desenvolido e a pensar que se existisse alguém culpado por isso seria ninguém mais do que eu mesma. Não tinha ideia que que esse mal tratasse de algo além de nosso próprio controle e confesso que a solução que cheguei a pensar para que isso terminasse foi pedir sós médicos que me cedasem por algum tempo ou então me induzir a UTI. Podem muitos achar isso exagero de minha parte chegar a esse ponto mas...Como via apenas em mim a culpa é a única capaz de resolver esse problema e por pensar também que eu era a única sobre a face da terra a fazer uma coisa que acho tão nojenta e ao mesmo tempo tão fácil de resolver como se dissesse pra mim mesma mas é só parar...e teu problema deixa de ser problema. O problema sempre foi eu nunca conseguir parar. Parece uma coisa tão simples de resolver e é isso que me deixa com sentimentos de incapacidade frustração incompetência e vários outros sentimentos negativos que me deixam lá baixo.Mas eu conheço também meu outro lado....Não desisto assim como meu início foi procurar ajuda n as Internet por nunca ter coragem de relatar isso a alguém, percebo agora que não se trata de algo que eu tenha causado mas consequência de um distúrbio que talvez tenha muito haver com problemas relacionados à minha triste infância. Meu próximo passo agora que entendi que não sou um caso isolado psicanalista saiba me entender e ajudar. Torçam por mim...espero em breve relatar meu progresso e que minha história sirva de ajuda para outros que sofrem desse vício incontrolável mas sou mais forte meu autodomíninio será capaz de contar. Abraço.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desista Mary. Tem tratamento, tem qualidade de vida, tem luz do outro lado da cortina que nós fechamos em torno de nós mesmos. Não tenha vergonha, sempre é o momento certo pra começar. Faça isso por você e pelos que você ama. Beijo.

      Excluir
  101. As pessoaa achavam que eu tinha piolho de tanto que coçava a cabeça, e só parava quando via sangue, e ficava nesse ciclo de tirar casquinha > coçar > machucar, acho que faço isso desde de uns 12/13 anos, no ensino médio foi a pior época, mas como tinha caspa achava que era caspa e deixava pra lá, fiz tratamento, não tenho mais caspa e ate hoje continuo coçando o coro cabeludo, e tem dias que também mordo mt os labios até quando começa a arder e eu paro, e também arranco mt pele em volta da unha, tenho que cortar a unha direto, nao posso nem ter unha normal pintada bonitinha por conta disso, mas sempre arrumo um outro jeito de gastar meu nervosismo/tedio/ansiedade, família sempre acha palhaçada e os amigos drama, e pior que isso é que vou pros eua e eu até vou ter plano de saúde, mas consulta precisa pagar do mesmo jeito, e é muito caro tudo relacionado à saúde, será que existe algum remédio pra controlar isso tudo sem precisar de receita?

    ResponderExcluir

Compartilhe com a gente sua opinião ou sua experiência...